sábado, 27 de novembro de 2010

Existe uma nova unção?

Certo dia um pastor, amigo de Ministério relatou-me com muito pesar o que presenciou em certo congresso de jovens. Ele levou os jovens de sua igreja ao congresso, e relatou-me que em certo momento o cantor principal do congresso, chamou a frente, a todos os jovens pois ele queria fazer uma oração a fim de que todos ali pudessem receber a nova unção que Deus estava derramando na igreja brasileira. Entristecido e até certo ponto indignado com a atitude do cantor e dos organiza-dores do congresso, retirou-se do mesmo levando os jovens de sua igreja junto com ele. Ele me disse que não poderia compartilhar com tal doutrina, pois, ele desconhecia na palavra de Deus esse negócio de nova unção! O mais triste de tudo isso, é que esse não é um caso isolado, pois é comum ouvirmos falar de nova unção, nova visão etc. Mas o que diz a palavra de Deus sobre isso? ou melhor, encontramos na palavra de Deus, textos que defendem essa doutrina? A resposta só pode ser uma: Não! Não ah nada na bíblia que defenda essa crença neo-liberal.   
Alguns defensores dessa nova unção, tentam usar o texto de Salmos 51.10 para provar que é bíblica essa doutrina, mas se esquecem eles, que não estava pedindo uma nova unção, e sim um novo coração. Pois estava em pecado com a mulher de Urias, e, sentindo um profundo remorso, pedia um novo coração a Deus, assim como a alegria da salvação (V.12). O espírito a ser renovado é o de Davi e não o Espírito Santo, basta  observar que o o espírito que Davi pede para ser renovado(V.10), esta com o (e) minúsculo, Já o Espírito de Deus que é citado no verso 11, esta com o (E) maiúsculo.  Pois não é preciso ser nenhum teólogo para saber que o Espírito de Deus não se renova, mas sim o espírito humano, renova-se no sentido, de voltar a alegria, a força e o vigor. Pense comigo, sendo o Espírito Santo Deus, como pode ele ter de renovar-se? isso é coisa de humano, que é limitado e está sujeito ao tempo e as intempéries da vida. 
Se essa tal nova unção existe, como ensinam esses teólogos liberais, como isso pode se adequar ao que escreveu João em 1Jo. 2.20, 27 que diz o seguinte: "E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo...E a unção, que vós recebestes dele, fica em vós".   O apóstolo João é claro ao afirmar, que os crentes em Deus, já tinham recebido a unção de Deus, e, que essa unção permanecia neles! Isso é, não precisava ser renovada, pois não se consumia ou acabava, mas permanecia. 
Pelo que podemos abservar nas Escrituras sagradas, tal ensino sobre nova unção, não procede da palavra de Deus, e sim do coração de falsos pastores e ensinadores, que querem apenas mercandejar a palavra de Deus. 
Soli Deo Glória.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Seria o domingo a marca da Besta?

Escrevo este texto, com a intenção de ajudar a todos aqueles que talvez estejam se perguntando sobre isso, pois em nossos dias, com o avanço da inclusão digital, e o crescimento da mídia evangélica, muitos estão sendo bombardeados a cada dia com uma salada de conceitos teológicos e filosóficos. E o assustador, é que muitos desses conceitos partem de pessoas ou igrejas que desvirtuam o evangelho de Cristo, que misturam conceitos certos e ortodoxos, com conceitos totalmente errados. A marca da besta por exemplo, é um tema que facilmente, e constantemente é alvo de interpretações errôneas, onde é menosprezado todas as regras da hermenêutica bíblica. 
Outro dia, eu presenciei um debate na rede internacional de televisão, onde um pastor alegava que chegaria o dia em que todos teriam que tomar uma decisão, ficar ao lado de Deus e guardar o sábado, ou ficar ao lado do diabo e aceitar a marca da besta, que seria o domingo. Ao constatar tamanho erro e assassinato da exegese bíblica, me vi na obrigação de colocar na internet um estudo verdadeiramente bíblico-teológico, comprometido com o texto de apocalipse, pois nenhuma profecia pode ser de particular interpretação! (2Pe.1.20). 
Antes de refutar essa heresia, temos que descobrir a origem dela, e a origem dessa doutrina falsa, esta nos escritos de uma certa profetiza, que segundo seus adoradores, teria o espírito de profecia relatado no livro de apocalipse (Ap.19.10). Ela escreveu o seguinte: "Como o sábado se tornou o ponto especial de controvérsia por toda a cristandade, e as autoridades religiosas e seculares se combinaram para impor a observância do domingo, a recusa persistente de uma pequena minoria em ceder à exigência popular, fará com que esta minoria seja objeto de execração universal... Quando os observadores do sábado forem levados perante os tribunais para responder por sua fé, estes apóstatas serão os mais ativos agentes de satanás para representá-los falsamente e os acusar e, por meio de falsos boatos e insinuações, incitar os governantes contra eles.... Terrível é a crise para a qual caminha o mundo. Os poderosos da terra, unindo-se para combater os mandamentos de Deus, decretarão que todos, "pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos" (Ap. 13.16), se conformem aos costumes da igreja, pela observância do falso sábado. Todos os que se recusarem a conformaren-se serão castigados pelas leis civis, e declarar-se-à finalmente serem merecedores de morte."(Ellen G. White, O grande conflito, pgs, 610,614,621, CPB). 
Como podemos observar, essa doutrina não vem da Bíblia, mas da cabeça de uma mulher que se achava  uma profetiza da parte de Deus. mas para que suas profecias tivessem autoridade dentro do movimento a qual ela pertencia, teria ela que encontrar um texto para se fundamentar, dai surge o texto de apocalipse 13.16,17, onde esta escrito o seguinte: "E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas; Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome".
Numa interpretação toda tendenciosa, os defensores dessa doutrina afirmam que o sinal da besta é o domingo, pois segundo eles o selo de Deus é o sábado, e numa tentativa desesperada de salvar essa heresia, que não resiste uma acareação bíblica, apelam para Ezequiel 20.12 que diz assim: " E também lhes dei os meus sábados, para que servissem de sinal entre mim e eles: para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifica." 
Refutação: 
  1. A marca da besta, é a resposta de satanás aos 144.000 selados por Deus em apocalipse 7.3, portanto nada tem haver com a questão de se guardar o sábado ou o domingo. É importante analisar que a palavra marca, no grego é charagma, era usada para designar o selo, que poderia ser usado em documentos animais e etc. Assim sendo, pode-se observar que a marca descrita no texto de apocalipse, era algo visível, que marcava, mostrava e sinalizava que tal pessoa poderia comprar e usar de seus direitos civis (V.17). Também é importante dizer, que nada há no mencionado texto, que se refira ao sábado, isso é apenas suposição de uma mente doentia, ou desesperada por dar um caracter escatológico ao sábado. 
  2. Quanto ao texto de Ezequiel 20.12, é mais uma amostra do despreparo teológico desse povo sabatista, pois se observarmos atenta-mente o contexto, veremos o seguinte: Para quem era a mensagem de Ez.20.12?  Para a nação de Israel! (V.3), não é uma profecia para a igreja, Deus não esta repreendendo a igreja, e sim seu povo de Israel que não observava seus estatutos e leis (Vv.11,12). O Israel de Deus, tinha dois selos, a circuncisão (Gn.17.9-14); e o sábado (Êx.31.17), como não foram capazes de cumprir, Deus prometeu fazer uma nova aliança (Jr.31.31-34), e quando Jesus celebrou a última ceia, proclamou essa nova aliança (Mt.26.28). Na nova aliança, da qual o sábado não faz parte, o selo, ou o sinal de Deus não é o sábado, e sim o Espírito Santo (Ef. 1.13). 
  3. Para finalizar, o verso dezoito de apocalipse treze, diz que a marca da besta era o número de um homem, nada tem a haver com um dia. Fugir disso, é dar voz aonde a bíblia se cala, é supor e arriscar cair no erro, mas a julgar o passado dos defensores dessa doutrina, arriscar cair no erro não é problema para eles, pois sempre haverá a possibilidade de novas revelações interpretativas. 
Crer que haverá no futuro um decreto dominical, é ferir a mensagem da palavra de Deus, é brincar com algo sério, como o livro de apocalipse, e por fim é uma loucura e perda de tempo, pois achar que os Estados Unidos perderá o seu tempo para perseguir meia dúzia de legalistas e fariseus hipócritas, é forçar a barra e abusar da paciência dos verdadeiros servos de Deus.
Soli Deo Glória!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O texto de Apocalipse 11, é uma profecia sobre o atentado de 11 de Setembro?

Outro dia, ao navegar em uma comunidade de Teologia no orkut, vi um tópico falando a respeito disso, o tópico até trazia um vídeo, onde era sugerido que o texto de apocalipse 11.9 seria uma profecia ao atentado de 11 de setembro. mas o que diz o texto mencionado? vamos ver? 
"Então muitos dentre os povos, as tribos, as línguas e as nações contemplam os cadáveres das duas testemunhas, por três dias e meio, e não permitem que esses cadáveres sejam sepultados"(Ap.11.9). 
Bem, segundo esses "teólogos" adeptos de teorias especulativas sobre o fim do mundo, a cidade do texto é Nova York, e as duas testemunhas eram as torres gêmeas!. Será que eles tem razão? o atentado de onze de setembro estava profetizado na Bíblia? claro que não! basta olhar o verso dois, onde vemos claramente que a cidade é Jerusalém, e não Nova York! "mas deixa de parte o átrio exterior do santuário, e não o meças, porque foi ele dado aos gentios; estes por quarenta e dois meses calcarão aos pés a cidade santa"(Ap. 11.2). Raciocine comigo, se você fosse um leitor do tempo em que foi escrito o Apocalipse, para você, sendo um judeu, qual era a cidade santa?  Jerusalém é claro! ela é a cidade de Deus! (Sl.87.3; 46.4; 48.1; 135.21; 2Cr.6.6), nunca um judeu ou um cristão do tempo do apóstolo João, pensaria ser outra  a cidade santa, mencionada em Apocalipse 11. 
E quanto as duas testemunhas? serias as torres gêmeas? claro que não! essa idéia é mais absurda ainda! pois o texto de apocalipse é claro em identifica-las como profetas, e profetas vindo da parte de Deus, e não da parte de um suposto deus da terra! "Darei às minhas duas testemunhas que profetizem por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco... Mas, depois dos três dias e meio, um espírito de vida, vindo da parte de Deus, neles penetrou e eles se ergueram  sobre seus pés, e àqueles que os viram sobreveio grande medo". (Ap. 11.3, 11). Podemos observar claramente, que é Deus (o verdadeiro e não o falso) que envia as duas testemunhas, e, é o próprio Deus, que envia um espírito de vida para ressuscitar as duas testemunhas (v.11). Basta conferir o contexto de apocalipse 11, onde desde o início, a um diálogo entre o Apóstolo João e um anjo! (v.1), então tanto a cidade santa é Jerusalém, quanto as testemunhas são da parte divina, como, inclusive o Deus citado no texto é o verdadeiro Deus!e ponto final.
Pelo que posso concluir, toda essa conversa do atentado de 11 de setembro, estar profetizado no livro de apocalipse, é mera especulação de quem não tem o que fazer e tenta amedrontar os incautos na Bíblia, meu conselho como pastor e teólogo é o mesmo deixado por Paulo a Timóteo: "prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longaminidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportaram a sã doutrina; pelo contrário cercar-se-ão de mestres, segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas" (2Tm.4.2-4).   
Soli Deo Glória!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O abuso dos dons espirituais na igreja moderna

Estamos vivendo dias de grande confusão no arraial dos crentes, pois os mesmos demonstram não terem mais direção, e, pelo que parece, isso tudo se dá, pela enxurrada de novas visões e unções, que são ensinadas pelos "apóstolos" da igreja moderna. A igrejas, que se passarmos em frente delas, ficamos em dúvida se ali é uma igreja ou uma sinagoga! outras a dúvida é outra, se o Pastor é Pastor ou pai de santo! aja seção de descarrego para tirar a má impressão! Sincera mente, não sei onde tudo isso vai parar, é difícil encontrar uma igreja que não ensine o ato profético, a maldição hereditária, tem até igreja ensinando a falar língua estranha,e profetizar sobre a vida dos irmãos. Certa vez, da varanda de minha casa, assisti um culto evangelístico de uma igreja pentecostal, onde o que dirigia a reunião, chamou uma irmã que traria da parte de Deus, três revelações para a igreja naquela noite, eu fiquei me perguntando: - E se Deus não quisesse revelar nada naquela noite! e se quisesse revelar apenas uma vez! ou duas!. Bem o que Deus desejava para aquela reunião não interessava, pois o que valia era o desejo do dirigente, e, ele havia determinado que seriam três revelações. Falando em determinar, também é comum ouvirmos os novos "apóstolos" darem palavras de ordem a Deus, ao diabo, as doenças, as crises financeiras e etc.   
Tudo isso nos mostra um caso de abuso dos dons espirituais dados a igreja, sejam eles ministeriais ou de poder, ah certos cultos onde não há pregação, é só profecia o tempo todo, os crentes saem extasiados com tanto "poder" de "Deus". Em outros, não se consegue orar, cantar, ou ouvir a mensagem, pois é um barulho de línguas estranhas (estáticas, glossolália), onde todos falam ao mesmo tempo e bem alto! é o chamado reteté, onde as pessoas que não estão no mesmo "nível" espiritual, devem tomar o cuidado para não serem atropeladas por alguém que "tomado pelo Espírito" esteja fazendo um trenzinho na igreja, ou talvez um aviãozinho quem sabe. Nestas igrejas é comum ouvirmos falar de pessoas que foram arrebatadas ao céu, ou ao inferno, e que sempre trazem de lá, informações preciosas para a igreja. O curioso nesses supostos arrebatamentos e revelações, é a diferença desses que se dizem arrebatados, e o Apóstolo Paulo, que também fala que foi arrebatado, mas diferentemente desses "profetas" do arrebatamento moderno, Paulo afirma que não convinha contar o que ele viu lá! (2 Co.12.2-5). Aliás, Paulo nos mostra em seus escritos como se deve cultuar a Deus, pois esse problema de desordem espiritual, não um problema exclusivo da igreja contemporânea, o próprio Paulo enfrentou problemas dessa ordem, descrito na carta de Paulo aos Coríntios no capítulo 14. 
Vamos ver agora como Paulo orienta a igreja na hora de cultuar a Deus: (Ver: 1Co.14.26-33).
  1. Toda a manifestação de dons espirituais deveria ser para a edificação da igreja! (v.26);
  2. A manifestação do dom de línguas, deveria ser feito por duas ou no máximo três pessoas, e cada uma de uma vez! (v.27);
  3. Ainda quanto ao dom de línguas, deveria haver intérprete. Portanto, era possível haver línguas e não haver intérprete (v.27);
  4. Se não houvesse intérprete a pessoa deveria ficar calada ou falar com sigo mesma (em silêncio, baixinho) (v.28);
  5. Quanto ao dom de profecia, deveriam falar dois ou três profetas, e os outros deveriam julgar (v.29);
  6. E se outro irmão recebesse uma profecia, o primeiro deveria se calar (v.30);
  7. Pois no culto a Deus, não poderia ter confusão! (v.33). 
Em todo o capítulo 14, vemos Paulo admoestando a igreja de Corinto a parar com a infantilidade espiritual, e serem adultos no entendimento (14.20). 
E se hoje, o Apóstolo Paulo visitasse sua igreja, qual seria o veredito de Paulo a respeito da vossa maneira de cultuar a Deus? Pense nisso! Soli Deo Glória! 


terça-feira, 16 de novembro de 2010

Doutrinas Bíblicas

    1. A predestinação: Para muitos, falar em predestinação na Bíblia é um absurdo, mas ao folearmos as páginas da Bíblia vemos o tempo todo Deus trabalhando com a predestinação de pessoas nações e povos, é tão fácil perceber e entender os desígnios de Deus, sobre tudo com relação a doutrina da predestinação. Os textos na palavra de Deus são abundantes e suficientemente claros para que qualquer pessoa possa compreender (Jo.6.37,39,40,44,45,65;15.16; Ef. 1.4-14; At 13.48; Rm 8.28-30; 9.11-24; 11.5,6; Ef. 2.8; 2 Ts. 2.11-14; 2Tm. 1.9; Ap. 17.11). "O termo predestinação é uma tradução da palavra grega proorizo, que aparece seis vezes no Novo Testamento (At.4.28; Rm.8.29-30; 1 Co.2.7; Ef.1.5,11). Em alguns casos, refere-se à preordenação divina de todos os acontecimentos da história mundial (At.4.28; 1 Co.2.7). Em outros, refere-se à decisão de Deus, tomada antes de o mundo vir a existir, com respeito ao destino final de pecadores individuais- mais especificamente, daqueles que foram escolhidos para a salvação e vida eterna (Rm .29-30; Ef.1.5,11), em contraste com aqueles que, por fim, serão condenados ao julgamento eterno" (Bíblia de Estudo de Genebra, pg. 1488, SBB/ECC). Os que se posicionam de forma contrária a doutrina da predetinação, se esquecem que as escrituras claramente afirmam que antes de conhecermos a Cristo, estavamos mortos para Deus, não conseguindo compreender as coisas espirituais (2 Co 2.14), por tanto ninguém pode ouvir o Evangelho e aceitá-lo pela fé, sem o despertar interior que só Deus pode conceder ao pecador (Ef. 2.8; Jo.6.65). A doutrina da predestinação não deve ser encarada como um fardo ou uma ofença a doutrina da graça, mas como um ato da graça divina em que de antemão escolheu os seu filhos e lhes garantiu uma eterna salvação!

A ameaça Mormon

 Se alguma vez você for abordado em sua casa por uma dupla simpática de missionários? e eles estiverem usando camisa branca e calças pretas?  e carregarem nas costas uma mochila? e lhe ofereçerem um livro com capa azul? Cuidado, você pode estar em perigo! Brincadeiras a parte, os Mormons são pessoas especiais, que necessitam serem bem acolhidas e ensinadas na verdade da palavra de Deus. Mas eles representam sim uma ameaça constante a igreja de Cristo, pois na sua insistência de evangelizar, se tornaram um dos grupos religiosos que mais creçem no Brasil! superando religiões milenares, e o pior de tudo é que pregam um evangelho totalmente diferente do ensinado na bíblia, que consideram aliás, sendo um livro mal traduzido e cheio de falhas.
Muitas são as heresias ensinadas por essa igreja, que como todas as seitas pseudo-cristãs, tem sua origem em novas revelações e visões dadas supostamente por Deus aos seus fundadores.  
O livro de Mormon. Segundo eles esse livro é outro testamento de Jesus Cristo, que trata da vinda de Jesus a América, dentre outras heresias inventadas por eles.
Esse livro contém: Acusações contra a Bíblia, insinuando claramente que a Bíblia é um livro adúlterado (ver: 1Nefi. 13.26-29); Racismo, pois no livro do profeta Alma 3.6-9, há claramente uma indicação de que a cor escura é uma espécie de maldição divina; Heresias e contradições, também no livro do profeta Alma, vemos no capítulo sete  e verso dez, que Jesus nasceria em Jerusalém. Mas A Bíblia afirma que Jesus nasceria em Belém! (Mq. 5.2; Lc. 2. 4-7). Muitas coisa poderiam ser ditas a respeito dos Mormons, e de suas doutrinas, mas isso ocuparia muito espaço, por vou me limitar a apenas citá-las na seguinte ordem: 
  1. O Sacerdócio Araônico: Segundo eles, apenas os portadores desse sacerdócio, possuem autoridade para administrar as ordenanças externas de fé, arrependimento e batismo (D&C, 107. 13,14,20);
  2. O Sacedócio de Melquisedeque: De acordo com o Mormonismo, somente aqueles que possuem o sacerdócio de Melquisedeque têm autoridade para conduzir a igreja e pregar o Evangelho em todas as partes do mundo, realizando trabalhos no templo e orando pelos enfermos;
  3. A doutrina do progresso eterno: Onde é ensinado que os Mormons são tão eternos quanto Deus!
  4. A doutrina dos três lugares de Glória: Reino Telestial- para onde vão os ímpios do mundo, Reino Terrestrial- para onde vão as pessoas boas que não são Mormons; e o Reino Celestial- Reservado somente para os Mormons.
  5. A família divina: Os Mormons acredita que no céu Deus tem uma família, formada por uma esposa e seus filhos Jesus e Satanás! Ver o livro Regras de fé, pg 400 de James E Talmage.
  6. O batismo pelos mortos: Com uma interpretação errônea de 1 Co. 15.29, os Mormons praticam o batismo pelos mortos, afim de salvá-los.
Não há dúvida alguma que os Mormons representam uma ameaça para a igreja de Cristo, e que nenhum cristão sincero deve comungar com eles, ou até mesmo frequentar qualquer cerimônia Mormon.


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A dor da separação.

"E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais a morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis" (Ap. 21.3-5). 
Nesta postagem, quero falar de algo que aflige milhares de pessoas no mundo inteiro todos os dias, a dor e o sofrimento causado pela separação. A separação pode ser física (a morte, ou familiar ), ou pode ser espiritual (morte eterna) que é a pior delas com toda certeza, mas em qualquer das situações, a separação traz consigo conseqüências e sofrimentos.
Nesta vida, passamos por momentos de muita dor, passamos por momentos difíceis em que quase perdemos a fé em dias melhores! Quem nesta vida de cristão, nunca se deparou com tais momentos? sejam eles quais forem, pode ser a morte de um ente querido, a separação familiar, ou qualquer coisa semelhante.
Na palavra de Deus, encontramos o relato de vários exemplos de sofrimentos relacionados a algum tipo de separação: Vemos o sofrimento de Agar a escrava egípcia de Sara, que ao ser expulsa de casa com seu filho, andou errante no deserto sem rumo certo, até que acabou a água de seu odre, e conseqüentemente, sua esperança em um futuro melhor! sem ter o que fazer naquele deserto, afastou-se de seu filho para não o ver morrer de sede e chorou, bradou em desespero ao ceu! (Gn.21.14-16); Vemos o sofrimento de José, filho de Jacó. Que ao ser vendido por seus irmãos  virou escravo no Egito, e ainda foi preso. Se não bastasse a dor de estar separado de seu pai, e a dor de ser vendido por seus próprios irmãos, ainda teve de enfrentar a humilhação da vida de escravo e depois, a de um prisioneiro! (Gn. 37-39). E o que falar então de Jó? perdeu sua riqueza, sua saúde física e emocional, sua imagem social de um homem abençoado e justo, que gozava de comunhão com Deus e por Ele era abençoado. O próprio casamento de Jó desmoronou-se depois de tanta desgraça! mas o que mais causou o sofrimento em Jó, não foi a perda de sua riqueza, ou de sua posição social perante a sociedade, nem mesmo, a atitude incrédula e ressentida de sua esposa, mas a perda e separação que teve de seus filhos, pois esta era irreparável! No Novo testamento, também vemos vários exemplos de sofrimento passados pelos cristãos, e o que mais me chama a atenção, foi o sofrimento de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo, não me refiro propriamente ao seu sofrimento físico, mas sem dúvida, a dor quase insuportável da separação e abandono de seu Pai na cruz "E à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloi, Eloi, lama sabactâni? que, traduzido, é : Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mc. 15.34).   
Sem dúvida, a dor de uma separação é algo que machuca e causa feridas na alma, que demoram a cicatrizar, mas graças a Deus que ao olharmos atentamente para todos os exemplos de sofrimento citados neste post, vemos o socorro divino a favor de seus filhos. Todos aqueles que o servem de coração, podem ter esta certeza, que conforme vemos no texto de apocalipse 21.3-5, no final de nossa jornada nessa vida, Deus enxugará de nossos olhos toda lágrima, no céu não haverá tristeza! não se ouvirá falar em separação, pois o próprio Deus estará com seus filhos!  Amem!