segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A dor da separação.

"E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais a morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis" (Ap. 21.3-5). 
Nesta postagem, quero falar de algo que aflige milhares de pessoas no mundo inteiro todos os dias, a dor e o sofrimento causado pela separação. A separação pode ser física (a morte, ou familiar ), ou pode ser espiritual (morte eterna) que é a pior delas com toda certeza, mas em qualquer das situações, a separação traz consigo conseqüências e sofrimentos.
Nesta vida, passamos por momentos de muita dor, passamos por momentos difíceis em que quase perdemos a fé em dias melhores! Quem nesta vida de cristão, nunca se deparou com tais momentos? sejam eles quais forem, pode ser a morte de um ente querido, a separação familiar, ou qualquer coisa semelhante.
Na palavra de Deus, encontramos o relato de vários exemplos de sofrimentos relacionados a algum tipo de separação: Vemos o sofrimento de Agar a escrava egípcia de Sara, que ao ser expulsa de casa com seu filho, andou errante no deserto sem rumo certo, até que acabou a água de seu odre, e conseqüentemente, sua esperança em um futuro melhor! sem ter o que fazer naquele deserto, afastou-se de seu filho para não o ver morrer de sede e chorou, bradou em desespero ao ceu! (Gn.21.14-16); Vemos o sofrimento de José, filho de Jacó. Que ao ser vendido por seus irmãos  virou escravo no Egito, e ainda foi preso. Se não bastasse a dor de estar separado de seu pai, e a dor de ser vendido por seus próprios irmãos, ainda teve de enfrentar a humilhação da vida de escravo e depois, a de um prisioneiro! (Gn. 37-39). E o que falar então de Jó? perdeu sua riqueza, sua saúde física e emocional, sua imagem social de um homem abençoado e justo, que gozava de comunhão com Deus e por Ele era abençoado. O próprio casamento de Jó desmoronou-se depois de tanta desgraça! mas o que mais causou o sofrimento em Jó, não foi a perda de sua riqueza, ou de sua posição social perante a sociedade, nem mesmo, a atitude incrédula e ressentida de sua esposa, mas a perda e separação que teve de seus filhos, pois esta era irreparável! No Novo testamento, também vemos vários exemplos de sofrimento passados pelos cristãos, e o que mais me chama a atenção, foi o sofrimento de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo, não me refiro propriamente ao seu sofrimento físico, mas sem dúvida, a dor quase insuportável da separação e abandono de seu Pai na cruz "E à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloi, Eloi, lama sabactâni? que, traduzido, é : Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mc. 15.34).   
Sem dúvida, a dor de uma separação é algo que machuca e causa feridas na alma, que demoram a cicatrizar, mas graças a Deus que ao olharmos atentamente para todos os exemplos de sofrimento citados neste post, vemos o socorro divino a favor de seus filhos. Todos aqueles que o servem de coração, podem ter esta certeza, que conforme vemos no texto de apocalipse 21.3-5, no final de nossa jornada nessa vida, Deus enxugará de nossos olhos toda lágrima, no céu não haverá tristeza! não se ouvirá falar em separação, pois o próprio Deus estará com seus filhos!  Amem!

Nenhum comentário: