domingo, 23 de outubro de 2011


A diferença entre o crente carnal e o crente espiritual



“Vendo Jesus que ele havia respondido sabiamente, disse-lhe: Não estas longe do reino de Deus” (Mc 12.34a).

Ola amigos do blog, neste domingo, posto essa mensagem sobre a diferença dos crentes carnais e dos espirituais, pois a cada dia se faz necessário compreender o que realmente é cada um deles.
Começo nosso estudo de hoje, com um texto do evangelho de Marcos, no qual Jesus nos revela algo muito importante: Podemos estar dentro de uma igreja, mas não pertencermos realmente a ela. Podemos nos intitular cristãos, mas não termos realmente nenhum vínculo com o salvador! Podemos estar tão perto de Deus, mas ao mesmo tempo tão afastados dele que Ele nem nos conheça! (MT 7.21-23).  
Jesus havia terminado um diálogo com um escriba que lhe tinha dado uma resposta verdadeira, a qual Cristo já esperava escutar. Pois conhecia muito bem os escribas e os religiosos de sua época. Sabia que eles conheciam as escrituras como ninguém, que desde criança eram educados nas sagradas letras, afim de que, quando chegassem aos doze anos se apresentassem aos doutores da lei, para dela serem inquiridos.
Mesmo tendo os escribas um conhecimento tão grande das escrituras, não foram eles capazes de reconhecer o Cristo! Mesmo passando tantas horas estudando, orando e participando de rituais de purificação e cerimônias no templo, eles estavam completamente distanciados de Deus! E por que estavam? Porque eram meros religiosos! Estavam apenas apegados a letra da lei e não ao Senhor da lei. Muitos estão na mesma situação dos escribas e fariseus, sustentando títulos e denominações de forma orgulhosa e sem espiritualidade alguma, colocando-se muitas vezes até no lugar do próprio Deus, se sentindo superior aos demais irmãos, sempre prontos a julgar e condenar o próximo.
Mas como podemos nos proteger dos crentes religiosos e não cairmos no mesmo erro destes irmãos? Analisando nossa vida com Deus e atentando para os seguintes pontos indicativos de mera religiosidade cristã.
1. O perfil de um religioso:
1.1 A exteriorização da fé. O crente carnal ou religioso, sempre procura exteriorizar a sua fé, ou seja, sempre demonstra através de sua aparência que é mais santo que os outros. Ele faz isso através de regras quanto ao uso de roupas, jóias e etc.
1.2 A materialização da fé. Outro indício de religiosidade é o uso de imagens (idolatria), ou o abuso e exploração da fé, onde certos indivíduos que se dizem servos de Deus usam a fé para ganharem dinheiro enganando crentes igualmente carnais, que só buscam prosperidade e bem materiais.  
1.3 A busca da auto-salvação. Para terminarmos o perfil de um crente carnal, descrevo algo que é indispensável no currículo de qualquer um deles, a auto-salvação! Eles desprezam o sacrifício de Jesus na cruz, podem até admitir que Cristo morreu por eles, mas sempre, eu digo, sempre, encontrarão em seu arcabouço teológico, um modo de ensinar que o sacrifício de Jesus na cruz não foi perfeito ou completo, restando para o homem terminar o serviço. Muito embora a Bíblia ensine o contrário (Hb 10.17,18).
Na ânsia de se salvarem por seus próprios méritos, criam muitas doutrinas soteriológicas totalmente destituídas de base e consistência bíblica. Veja a seguir alguns exemplos do passado e alguns de nossos dias:
No passado. As seitas judaicas e os cristãos que eram a favor da circuncisão para os gentios (Fp 3.2).
No presente. Sabatistas, que ensinam que o sábado é o selo de Deus, os espíritas que ensinam a salvação através da caridade, os católicos que ensinam a salvação através de mediações de santos e também da purificação por meio de um purgatório, e finalizando essa lista, não podemos deixar de fora os crentes evangélicos adeptos de superstições e crendices populares.
Agora que fizemos um pequeno raio-X dos crentes carnais, vamos nos deter nos crentes que realmente estão inseridos no reino de Deus, pois reconhecem que são falhos e depositam a esperança da salvação aos pés da cruz.

 2. O perfil de um crente espiritual.
1.1 Ele interioriza sua fé. O crente verdadeiro sabe que todo o pecado contra Deus vem de dentro de nosso ser (Mt 15.17-20), por isso ele procura santificar a Cristo como Senhor do seu coração (1Pe 3.15), e como Davi ele guarda a palavra de Deus no coração para não pecar contra o Senhor (Sl 119.11). Por tanto, o crente espiritual não procura demonstrar que é mais santo do que os outros, nem promove a santificação através de roupas, alimentos, ou dias de guarda. Pois ele sabe que quem nasceu de novo não precisa ser vigiado ou regulado a cerca dessas coisas, pois já se libertou dos rudimentos desse mundo (Cl 2.20-23).
1.2 Não materializam a sua fé. O crente espiritual não precisa de imagens para crer que Deus esta perto dele, pois crê pela fé, que Deus esta sempre por perto dele (Mt 28.20), mas adora a Deus em espírito e em verdade (Jo 4.24).
1.3 Não buscam uma auto-salvação. Pois sabe perfeitamente que a Deus deve toda a honra e glória por essa dádiva maravilhosa que é a vida eterna (Ef 2.5; Rm 5.20).
Amados de Deus, nem os escribas e fariseus do passado, nem os religiosos do presente conseguiram alcançar o coração de Deus, mas sim aqueles que se humilham e choram aos pés de Cristo (Jr 29.13), e que reconhecem a Deus como sendo o agente transformador e santificador de nossas vidas. Agora que você descobriu a diferença do que é servir a Deus e do que é mera religiosidade carnal, que tal fazer uma análise de sua vida para descobrir em qual lado você esta? Atente para uma coisa importante, hoje você esta sendo convidado a fazer uma auto-análise para se certificar se esta ou não servindo a Deus adequadamente, mas chegará um dia em que quem fará esta análise em nossas vidas será o próprio Deus (Ml 3.18). Por tanto, vamos seguir o conselho do apóstolo Paulo que esta registrado em (At 17.30,31).
A Deus toda a Glória!
Pr. Igor de Moura Cogoy