quarta-feira, 19 de março de 2014

Predestinação: Devemos nem falar sobre isso?
DE Daniel Hyde 17 De Março De 2014 Categoria: Artigos

Eu gostaria de começar uma série on-prepare-predestinação. Sim, eu disse essa palavra. Eu sei que este não é o tópico mais popular para abrir entre empresa educado, na verdade, é francamente divisionista, não é? No século V, Agostinho relatou em suas cartas que alguns disseram, "A doutrina da predestinação é um obstáculo para a utilidade da pregação." E quem quer um obstáculo? No século XVI, João Calvino teve que sair do seu caminho para afirmar que os pregadores devem nada menos pregar sobre a divindade do Filho, a divindade do Espírito Santo, ou a criação do universo do que sobre a predestinação.
Devemos mesmo falar ou pregar sobre a predestinação? Porque a predestinação é uma doutrina bíblica, a resposta é um sonoro "Sim!" Você vê, sem predestinação, você não teria nenhuma Bíblia. Abrão foi escolhido de Ur dos caldeus ( Gênesis 12). Israel foi escolhido dentre todas as nações da terra ( Dt 04:37. ; 7:6-8 ; . Ps 105:6). Um novo remanescente israelita foi escolhido depois de seu exílio ( Isa 41:8-9. ;42:1 ; 43:1-7 ; 44:1-2 ; 45:4 ). Jesus ensinou a predestinação ( Matt 11:25-27. ;13:11-16 ; Mark 4:11-12 ; João 6:37 , 66 ; 10:26-30 ; 14:01 ; 17:06 , 9 , 11 - 12 ). Os Apóstolos predestinação ensinada ( . Rom 8:28-39 ; 9-11 ; . Ef 1 ; . Phil 1:06 ; 02:13; 1 Pedro 2:5-10 ). Desde a predestinação é uma doutrina bíblica, temos de falar sobre isso. A questão é como?
Deixe-me apontar-lhe uma resposta sucinta. Quando teólogos, pastores e anciãos de toda a Europa reuniram-se na cidade holandesa de Dordrecht em 1618-1619 para lidar com a controvérsia arminiana, eles ofereceram a seguinte declaração:
Da mesma forma que, por sábio plano de Deus, este ensinamento sobre a eleição divina foi proclamada através dos profetas, o próprio Cristo, e os apóstolos, nos tempos do Antigo e do Novo Testamento, e, posteriormente, foi cometido a escrever nas Sagradas Escrituras, assim também hoje na igreja de Deus, para a qual foi destinado especificamente, esse ensino deve ser estabelecido, com um espírito de discrição, de forma piedosa e santa, no momento e local adequado, sem busca inquisitiva nos caminhos do Altíssimo.Isso deve ser feito para a glória de nome mais santo de Deus, e para o animado conforto de seu povo. "(Cânones de Dort 1.14)
Este blog apresenta as regras básicas de como devemos falar e pregar sobre a predestinação como testemunhas de Cristo no mundo.
Com Discernimento
Devemos falar sobre a predestinação com discernimento. Quando Paulo escreveu Romanos 9 , ele estava escrevendo para uma congregação cristã composta por judeus e gentios em distinção de judeus descrentes e gentios. Crentes judeus eram os da promessa, enquanto judeus incrédulos foram aqueles apenas da carne (Rom. 09:03 , 6-8 ). Paulo usou outra ilustração deste conceito, quando disse que, entre os judeus, havia aqueles que eram da vasta areia de Israel étnico, enquanto há também aqueles que eram de um pequeno remanescente recolhidas ( Rom. 9:27 ).
Isto significa que quando você fala e pregar sobre a predestinação, você deve sempre ter em mente aqueles que você, com quem você está falando. Você está falando com os incrédulos? Se assim for, eles são duros de coração e zombando da doutrina, ou você discernir a obra do Espírito Santo em sua genuinamente questionando a verdade? Você está falando com uma congregação de crentes professos? Se assim for, alguns podem ser fortes na fé e capaz de sondar as profundezas e escalar as alturas de uma tal doutrina, enquanto outros podem ser fracos na fé ea simples menção da predestinação fará com dúvidas e preocupações. Você está falando de adultos, com todas as distinções acima, ou há também crianças na platéia? E enquanto você está falando com um tal congregação, tenha em mente que existem aqueles que realmente acreditam, seja fortemente ou fracamente, e que também pode haver aqueles que estão apenas fingindo acreditar, como hipócritas.
Com Reverência
Também devemos falar e pregar sobre a predestinação com reverência. Paulo fala com reverência de predestinação em Romanos 9:20-21 : "Mas quem é você, ó homem, para responder a Deus? Será que o que é moldado dizer ao seu moldador: 'Por que me fizeste assim?' Não tem o oleiro poder sobre o barro, para fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso? "Este foi o clímax do argumento de Paulo em Romanos 9 . Paulo começa seu argumento, falando sobre a incredulidade do antigo povo do convênio, seus compatriotas judeus (vv. 1-5). A primeira objeção que ele aborda é se a promessa de Deus para Israel havia falhado (v. 6). Mas Paulo diz que desde que Deus começou suas promessas aos patriarcas, havia uma distinção entre os "descendentes de Israel", e aqueles que realmente "pertence a Israel" (v. 6), entre aqueles que são apenas crianças exteriores de Abraão da carne e aqueles que realmente são filhos porque eles são filhos da promessa (vv. 7-8) de Abraão. Paulo começa na história e depois trabalha o seu caminho de volta para a eternidade: "embora ainda não nasceu e não tinha feito nada bom ou mau-in para que o propósito da eleição de Deus pode continuar, não por causa das obras, mas por causa daquele que chama de" (v. 11).
A próxima objeção é se Deus é injusto porque ele escolhe um e não o outro. A resposta de Paulo é: "De modo nenhum!" (V. 14) Ele não especular, mas simplesmente cita as Escrituras (vv. 15-17), concluindo que Deus "tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer" (Rm v. 18).
Mas se isto é verdade, então "por que Deus ainda nos culpa? Para quem pode resistir à sua vontade? "(V. 19) Você ouve a objeção? É que a predestinação nos faz robôs já que não há nada que possamos fazer sobre isso. Paulo não oferecem uma resposta filosófica resolvendo esse enigma. Ele afirma que Deus é Deus e nós não somos, ele é o Criador e nós somos criaturas, ele é um oleiro e nós somos a argila (vv. 20-21).
Porque a predestinação é um tema envolto em mistério, bem como muito mal-entendido, devemos falar sobre isso com reverência como Paulo fez. Observe como Paulo termina toda essa seção de Romanos 9-11 , dizendo: "Ó profundidade da riqueza, e sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis ​​são os seus juízos e quão inescrutáveis ​​os seus caminhos! "( Rom. 11:33 ). Ao comentar esta passagem João Calvino disse que quando discutimos conselho eterno de Deus "devemos sempre conter tanto a nossa linguagem e forma de pensar, de modo que quando falamos com seriedade e dentro dos limites da Palavra de Deus, nosso argumento pode finalmente acabar em uma expressão de espanto ".
Para a Glória de Deus
Devemos também falar da predestinação, de tal forma que é para a glória de Deus. "Deus falhou." "Deus é injusto". "Deus nos faz robôs." O ponto de Paulo em Romanos 9 é que a predestinação resolve essas objeções, porque é em última análise, para a glória de Deus, e não nossa satisfação intelectual. "Quem é você, ó homem?" (V. 20) Deus é Deus. Você não é. "O oleiro não tem direito?" (V. 21) Absolutamente ele faz. Ele glorifica a Si mesmo em Sua cerâmica, fazendo "um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso" (v. 21). Ponto final de Paulo é que Deus glorifica a si mesmo em suas obras: "E se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição, a fim de dar a conhecer as riquezas da sua glória para vasos de misericórdia, que preparou de antemão para a glória "(vv. 22-23, grifo meu).
Quando você fala ou pregar sobre predestinação, você está fazendo isso para trazê-lo de louvor? "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo" ( Ef. 1:3-4 ).Quando você fala ou pregar sobre predestinação, você está fazendo isso para aumentar sua graça? "Para o louvor da sua gloriosa graça" (v. 6). Na verdade, Paulo repete esta doxologia mais duas vezes em Efésios 1:12 e 1:14 porque Deus derramou Sua graça extravagante sobre o Seu povo. Quando você fala ou pregar sobre predestinação, podem suas palavras ser "traduzidos" para dizer o seguinte: "Porque dele e por meio dele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre. Amém "( Rom. 11:36 ).
Para o nosso conforto
Finalmente, temos de falar da predestinação de tal forma que ela também é para o nosso conforto. O conforto que Romanos 9 tem para você, para o mundo, e para mim? Depois de começar com a história da redenção registrada no Antigo Testamento, então rastreamento para trás, para a eternidade, Paul acaba colocando o direito evangelho em nosso colo, em nossa própria história pessoal: "mesmo nós a quem ele chamou, não só dentre os judeus, mas também de os gentios? "( Rom. 9:24 ). Não acuse Deus de mentir. Não acusar Deus de injustiça.Não acuse Deus de fazer robôs. Pelo contrário, acredito.
". Chama de" Mas as pessoas objeção tinha e ainda tenho é que quando falamos da predestinação, ele só é benéfico para aqueles a quem Deus Quando você fala da predestinação, deve sempre levar o evangelho: "Você quer saber o que você foram chamados para o reino de Deus, porque ele predestinou você para que a glória?Então, acreditar em Jesus. "Quando falamos dessa maneira, levar as pessoas a alegria de saber que, enquanto eles eram uma vez" não meu povo [de Deus] "Deus agora chama de" meu povo "e" filhos do Deus vivo " ( Rom. 9:25-26 ). Como Martinho Lutero escreveu uma vez:
Siga a ordem da Epístola aos Romanos. A preocupação primeira a respeito de Cristo e do evangelho, que você pode reconhecer seus pecados e sua graça, e depois lutar contra o seu pecado, como Paulo ensina a partir do primeiro ao oitavo capítulos. Então, quando você vir sob a cruz eo sofrimento nos oitavo capítulos, isso vai te ensinar da presciência nos capítulos 9, 10 e 11, e como é consolador. "

Sim, devemos falar sobre predestinação. Devemos falar sobre isso de uma forma que leva os pecadores a Jesus Cristo, que traz glória a Deus eterno, e que traz o povo de Deus o conforto eterno.

Extraído do blog: http://www.ligonier.org/blog/predestination-should-we-even-talk-about-it/

segunda-feira, 17 de março de 2014

O cristão pode ir ao cinema? ( Na mira da verdade )



Ir ao cinema é pecado?

Pelo menos para os Adventistas do Sétimo Dia sim, em um famoso programa televisivo onde as pessoas fazem perguntas para o professor Leandro quadros, um irmão pergunta se ir ao cinema era pecado? e por incrível que pareça, a resposta dele foi positiva, afirmando com base em (1 C0 8, 12,13; e, 9.23, 32, 33; 11.1), que alguém poderia se escandalizar e isso seria pecado. Enfim, os textos citados nada tem  a haver com cinema, mas sim com problemas bem mais complicados e que minavam a unidade e espiritualidade dos crentes dessa comunidade. No capítulo oito por exemplo, temos como tema o problema de alimentos oferecidos a ídolos (8.1-13), isso sim era perigoso e podia causar o murmurio dos irmãos fracos na fé. 
Ir ao cinema assistir um filme legal não é pecado, quem pensa assim, deve evitar ir ao mercado pois irá encontrar cartazes de mulheres sensuais fazendo apologia a bebida, não poderá ir ao trabalho, pois sempre encontrará alguém falando besteira ou mostrando para os colegas algo indecente e pecaminoso, quem pensa dessa forma, deve viver como um prisioneiro em sua casa. 
Lamentável é, ver alguém que exerce a função de mestre das Escrituras, torcê-las vergonhosamente apenas para comprovar sua falsa e ridícula teoria. Mas podemos aprender algo dessa triste lição, a de que não devemos dar vós onde a bíblia se cala. Desejo a todos os amigos de nosso blog, que possam ter seus olhos espirituais bem aberto para discernir os laços que o inimigo de nossas almas lança em nosso caminho.
Na paz e no Amor de Jesus Cristo

domingo, 16 de março de 2014

Cristologia

 

 

 

Jesus e Miguel são a mesma pessoa na Bíblia? 

Olá amigos do blog AI GRAPHAI, é com imensa alegria que volto a postar e atualizar o nosso blog, espero que vocês tenham gostado das mudanças. Minha primeira postagem do ano é sobre uma possível deidade de Miguel defendida por Adventistas do Sétimo Dia e por Testemunhas de Jeová.
Por incrível que pareça, algumas seitas pseudo cristãs defendem essa teoria, e alguns dias atrás pude presenciar isto em um programa de TV onde um certo "consultor bíblico" defendia essa ideia no mínimo absurda. 
Eu digo absurda, pois mistura o criador e a criatura, e isso é biblicamente inviável. Como pode Miguel ser Jesus se a Bíblia diz que Jesus criou os anjos e as potestades? "pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste." (Cl 1.16,17).
Procurarei mostrar de forma bem simples os motivos ou evidências bíblicas do porquê essa é uma doutrina herética e perigosa, senão, vejamos:
A Bíblia estabelece uma imensa diferença entre Jesus, que é Deus e Miguel, que é criatura:
1- Miguel é anjo (Cl 1.16), Jesus é Deus (Jo 1.1; 20.28);
2- Miguel é criatura (Cl 1.16), Jesus é o criador (Jo 1.3);
3- Miguel como é um anjo, não pode ser adorado ( Ap. 22.8,9), Jesus, é adorado pelos anjos (Hb 1.6);
4- Miguel, é o guarda e advogado de Israel (Dn 12.1), Jesus, é o advogado de todos os que o procuram (1 Jo 2.1,2);
5- Miguel não é juiz, nem tem poder sobre o diabo (Judas 9), Jesus, é juiz de todos (At 10.42, 17.31).
A Bíblia é muito clara quanto a esse assunto, Jesus é Deus! não é uma criatura e Miguel, por mais poderoso que seja, não pode ser comparado a Jesus, isso é uma blasfêmia muito perigosa que pode destruir para sempre a vida dos incautos, que sem o conhecimento verdadeiro das escrituras, acabam por distorce-las e como resultado entram em condenação e levam juntamente com eles a muitos, que desavisados ou descompromissados com a palavra, são vítimas perfeitas para os adeptos de seitas sabatistas e jeovistas (2 Pe 2.1-3).
Espero que este pequeno post possa ter lhe ajudado a se defender dessa heresia horrível e destruidora. Desejo a todo um grande abraço. 
Na paz e no amor de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Pr. Igor de Moura Cogoy