quarta-feira, 26 de março de 2014

Curso Bíblico para Obreiros

Parte 1: Entendendo o serviço cristão e o papel de servo na Igreja de Cristo


Olá amigos do BLOG AI GRAPHAI, começo agora uma série de estudos que  ministrei na igreja onde congrego em São João Batista SC. 
Essa série, corresponde ao nível um de nossa escola de obreiros, e nela, estudaremos de forma bem simples o que é ser um servo de Deus, e o que é o serviço na casa de Deus. 
O nosso curso de obreiros que chamamos de (Curso para Ministérios- Nível-1), trata-se na verdade de uma série de cinco palestras ministradas em cinco reuniões, que tem os seguintes títulos ou temas:
1- Aprendendo a ser servo;
2- Aprendendo a ser um líder;
3- Aprendendo o que é autoridade e submissão;
4- Aprendendo o que é culto;
5- Aprendendo a pregar a mensagem do Evangelho. 
Hoje, estarei postando o primeiro estudo dessa série, cujo o tema é Aprendendo a ser servo. Espero que este estudo possa lhe ajudar no exercício da obra de Deus. 

 Palestra n° 01

Tema: Aprendendo a ser servo

Texto bíblico: “Mas agora, libertos do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.” (Rm 6.22).

Introdução

Não existe no mundo algo que não tenha um líder, um mentor, popularmente conhecido como chefe! Seja na escola, no trabalho, na igreja e, em nossas casas também. Sem uma liderança ninguém vai para frente, não se chega a lugar algum.
Por isso, cedo ou tarde todos nós teremos que lidar um dia com a questão da autoridade e submissão, sobre liderança e liderados. Alguns se revoltam, não aceitam, ou nem mesmo querem ouvir falar sobre o assunto, mas neste primeiro estudo, proponho-me a mostrar que se encararmos este assunto com seriedade e respeito, poderemos tirar muitas lições importantes para nosso crescimento pessoal, seja na escola, no trabalho, na igreja, e até em nossas casas. A partir de agora veremos que ninguém nesta vida é realmente livre, todos somos servos de alguém ou de algo, o texto citado acima nos sugere isso de maneira bem clara, ele nos mostra que antes de nossa conversão a Deus, éramos servos do pecado, mas depois de nossa conversão, nos tornamos servos de Deus. Por tanto, ninguém é realmente livre, todos nós estamos servindo a alguém, e mais, nenhum líder chegou à liderança sem antes ter sido um servo! A boa notícia amado (a) irmão (a), é que podemos escolher aquém desejamos servir.



1.  Definição etimológica da palavra servo.
Do grego doulos, adjetivo que significa “em escravidão”. Também do latim Servus, escravo, criado, e do hebraico ebhedh, servo. Termo geral, compreendendo o que serve voluntariamente e o que é obrigado a servir, desde o escravo prisioneiro de guerra, ou adquirido por compra, até o ministro de um rei, e ao que serve a Deus.
2. Servo segundo a Bíblia Sagrada.
 Servo segundo a Bíblia é escravo, não existe nenhuma outra definição aceitável até por que o assunto era corriqueiro nos tempos bíblicos, todo mundo que tinha poses, tinha escravos, eles eram abundantes em todo o império romano. A própria lei de Deus tinha mandamentos concernentes aos escravos:
·         O escravo hebreu no sétimo ano seria forro de graça (Ex. 21.2);
·         E caso quisesse ficar, teria essa opção (Dt 15. 16,17);
·         Mas se preferisse a liberdade, teria direito a algum bem material de seu senhor (Dt 15.12,13).
Nos tempos do apóstolo Paulo, o problema da escravidão era muito pior, chegando a índices terríveis.  Os próprios crentes do Novo Testamento possuíam escravos, Onésimo, o escravo fujão era um deles (ver carta de Paulo a Filemom).

3. O servir segundo a Bíblia Sagrada.
Existem muitos termos usados na bíblia para servir, o que difere do nosso idioma que existe apenas a palavra servir. Mas como o tema de nosso estudo é aprendendo a ser servo, ficaremos somente com os termos bíblicos que tratem do assunto do ponto de vista do serviço cristão. Veremos agora, o que significa servir na Bíblia:
a) Servir envolve uma decisão. “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. (Mt 6.24) e ainda, “Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos”? Se o Senhor é Deus, segui-o; e, se Baal, segui-o. Porém o povo lhe não respondeu nada” (1° Rs 18.21).
Tanto no primeiro, como no segundo verso, vemos que não existe a possibilidade de ficarmos no muro, na indecisão. Temos que escolher o nosso lado nessa guerra, ou levamos a Deus a sério, ou estamos perdendo o nosso tempo brincando de igreja!
b) Servir é estar à disposição. “Eis que, como os olhos dos servos atentam para do às mãos seu senhor, e os olhos da serva, para as mãos de sua senhora, assim os nossos olhos atentam para o Senhor, nosso Deus, até que tenha piedade de nós” (Sl 123.2) e ainda, “Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8); “Antes santificai a Cristo, como Senhor, em vossos corações, e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1 Pe 3.15).
Não há como servir a Deus se escondendo atrás de outras pessoas, tem que estar próximo DELE, se fazer enxergar! Quando fiz meu curso de garçom, lembro-me de que me disseram que o garçom tinha que estar sempre atento, esperando alguém lhe chamar. Assim é o servo de Deus, temos que estar atento, olhando fixamente para Cristo, a fim de sermos chamados por ELE.
c) Servir é negar-se a si mesmo. “E, chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” (Mc 8.34, vide. 35).
Este verso de Marcos oito, no original grego, nos passa a ideia de repudiar-se e renunciar a si mesmo, desconsiderar todos os interesses e prazeres pessoais.
Infelizmente, o que vemos hoje em dia no arraial dos crentes não é o seja feita a tua vontade, mas o determino a minha vontade!
4. O que não é servir segundo a Bíblia Sagrada.
Muitos não entenderam ainda o significado de servir a Cristo, e principalmente o que é ser servo. E o mais triste, é ver que grande parte destes são pastores e obreiros, pessoas que deviam ser exemplos de serviço à obra de Deus, fazem por interesse e com o objetivo de ser servido e reconhecido. Constroem castelos sobre a areia “Estes são manchas em nossas festas de caridade, banqueteando-se convosco e apascentando-se a si mesmos sem temor: são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para a outra parte...” (Jd 12a). Veremos agora, alguns exemplos do que não é servir segundo as Escrituras:
a) Para ser visto pelos outros, ou por interesse. “Não servindo a vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus” (Ef 6.6). E ainda, “Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gl 1.10); “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita” (2Pe 1-3).
b) O que vive no engano e enganando. “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo: o que anda num caminho reto, esse me servirá. O que usa de engano não ficará dentro da minha casa: o que profere mentiras não estará firme perante os meus olhos” (Sl 101.6,7). E ainda, “Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente” (Ef 4.14).
c) O que não perdoa. “Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas, até setenta vezes sete” (Mt 18.21,22). E ainda, “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e ai te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com o teu irmão, e depois vem e apresenta a tua oferta” (Mt 5. 23,24). Veja ainda a parábola do credor incompassivo (Mt 18.23-35).
d) O que vive em rebeldia (insubmissão). “Porém Samuel disse: tem por ventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça a palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria” (1°Sm 15. 22,23). E ainda, “Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos será útil” (Hb 13.17).
Poderíamos citar muitos outros exemplos, mas para não nos estendermos muito, paramos por aqui, pois achamos que o que foi citado, é suficiente para elucidar o assunto.
Conclusão:
Que todos nós possamos ter aprendido um pouco mais sobre o que é ser servo, e sobre o que não é, pois a obra de Deus não pode ficar a mercê de homens imaturos ou imorais, mas deve ser conduzida por homens que temem a Deus e se coloquem a disposição dele.
“Servo é aquele que entende sua posição dentro reino de Deus, é aquele que entende a importância do seu chamado e que se coloca a disposição de Deus para servi-lo não importando as circunstancias nem os desafios, pois não o serve por vista, mas por fé.”
Pr. Igor de Moura Cogoy