sábado, 5 de abril de 2014

Olá amigos do Blog AI GRAPHAI, é com prazer que posto aqui a terceira palestra do curso de liderança, desejo a você um bom estudo. 

Palestra n° 03

Tema: Aprendendo o que é autoridade e submissão.

Texto bíblico:“Porém Samuel disse: Tem por ventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros “(1°Sm 15.22).

Introdução
Estudar os princípios de autoridade e submissão são fundamentais para um crescimento sadio e abençoado, ninguém chega a uma maturidade espiritual sem reconhecer e respeitar esses princípios. Infelizmente, muitos como o rei Saul têm dificuldades de entenderem esses princípios, e acham que por terem sido escolhidos ao ministério, devem agora ditar regras e submeter todos a sua vontade! Outros por sua vez, acham que o princípio de submissão, não se aplica a vida dela. E vivem em desobediência na igreja, no trabalho, na escola, enfim, por onde passam. A partir de agora, estudaremos esses princípios de forma mais aprofundada, visando à clara compreensão do assunto.
1) O que é autoridade?
“Autoridade é o direito que alguém tem de ser mandado e obedecido” (Pr. João Leão S. Xavier).
Partindo dessa premissa, vemos que a autoridade é dada por alguém a outra pessoa, que por sua vez, revestida dessa autoridade executa sua função de líder.  “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra. E será vosso temor e o vosso pavor sobre todo o animal da terra, e sobre toda a ave dos céus; tudo o que se move sobre a terra, e todos os peixes do mar, na vossa mão serão entregues” (Gn 9.1,2).
Existem dois padrões de autoridade:
a) Autoridade absoluta. Só Deus tem a autoridade absoluta! ELE é a autoridade, e além DELE, não existe ninguém para o qual possamos apelar, “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do varão que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dos mortos” (At. 17.30,31).
b) Autoridade delegada. É a autoridade concedida por Deus. Todos os que nessa terra exercem autoridade, só o fazem, por que possuem a permissão divina para isso, “Toda a alma esteja sujeita as potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação” (Rm 13.1,2).  
2) Como exercer a autoridade.
A autoridade é conquistada, ninguém chega ao patamar de autoridade sem ter feito a sua parte. Ex: O político através dos votos, o militar seguindo a hierarquia, o professor através da dedicação em estudar, os pais através do casamento, os pastores através da caminhada de fé.
a) Com humildade. “Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo” (Fp 2.3).
b) Com fé. “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6).
c) Com orações e jejuns. “Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram” (At. 13.3); “Quando entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram em particular: Por que não pudemos nós expulsá-lo? Responde-lhes: Esta casta não pode sair senão por meio de oração [e jejum]” (Mc 9.28,29); Agora, o que acontece com quem não se consagra: “E alguns judeus, exorcistas ambulantes, tentaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre possessos de  espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus, aquém Paulo prega. Os que faziam isto eram sete filhos de um judeu chamado Ceva, sumo sacerdote. Mas o espírito maligno lhes respondeu: Conheço a Jesus e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois? E o possesso do espírito maligno saltou sobre eles, subjugando a todos, e, de tal modo prevaleceu contra eles, que, desnudos e feridos, fugiram daquela casa” (At 19.13-16).
d) Sabedoria. “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios...” (Ef 5.15); “e que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus” (2Tm 3.15).
3) O que é submissão?
“A palavra submissão é composta de duas outras; SUB+MISSÃO. Quer dizer: uma missão subordinada a outra. Submissão não quer dizer subserviência nem depreciação. Ser submisso é ser cooperador na missão”  (Pr. João Leão dos S. Xavier).
Já vimos o que é autoridade, agora, veremos o que é submissão, e a quem ser submisso:  
a) A Deus. Todo o homem deve temer honrar e ser submisso a Deus. “Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo o homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo” (1Co 11.3).
b) Ao homem. Há pessoas que dizem: “só obedeço a Deus”. Está errado. A Bíblia diz que todo homem deve estar sujeito às autoridades, “Todo homem esteja sujeita as autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas” (1Co 13.1). Exemplo de autoridades a quem devemos submissão:
·         Autoridades constituídas (Rm 13.1-7);
·         Aos pais (Ef 6.1,2);
·         Ao líder espiritual (Hb 13.17);
·         Ao chefe no serviço (Ef 6.5).

Conclusão:

Estando na posição de autoridade ou na posição de submissão, o importante é estar no centro da vontade de Deus. Pois se assim estivermos, com toda a certeza, no momento certo Deus nos usará para cumprirmos o seu propósito em nossas vidas. 

*Se você leu este post e gostou, comente! se tem alguma dúvida a respeito deste e dos demais posts desse blog, entre em contato conosco. 

Que Deus vos abençoe! 
Pr. Igor de Moura Cogoy

segunda-feira, 31 de março de 2014



Curso Bíblico Para Obreiros
Palestra n° 02

Tema: Aprendendo a ser um líder

Texto bíblico: “Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.” (Rm 12.8).

Introdução
Nenhum outro tema é mais estudado nas igrejas do que liderança, para algumas virou obsessão, existem seminários, livros, palestras em vídeo e etc.
Pretendo neste estudo explicar de forma clara e simples o verdadeiro sentido de ser um líder segundo as escrituras, embora as Escrituras não tragam essa palavra liderança. Pois a mesma foi cunhada por nós, mas no Novo Testamento existem muitos termos que podem ser usados para liderança. Exemplo: Guia governo, presidir, etc.
(1) O que é ser um líder?
Um líder é alguém que tem a capacidade ou o dom de liderar, coordenar, organizar seja uma empresa, uma igreja, um exército, ou um país.  A seguir mostraremos algumas características de um líder:
a) Líder é alguém que tem a capacidade de liderar outros. “Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.” (Rm 12.8).
b) Líder é alguém que sabe o caminho a trilhar. “E dizia-lhes uma parábola: pode porventura o cego guiar o cego? Não cairão ambos na cova?” (Lc 6.39).
c) Líder é alguém que tem um chamado especial da parte de Deus e por Deus é exaltado.  Exemplo: Moisés “Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito. Então Moisés disse a Deus: Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?” (Ex 3.10,11).

2. Requisitos para uma liderança eficaz.
Um líder não se conhece por palavras e pelo o que ele ostenta, mas pelo resultado de sua liderança e pelo exemplo dado por ele aos seus subordinados.
Na palavra de Deus existem muitos exemplos a serem seguidos de uma boa liderança, e, é claro, alguns não tão bons assim.  A seguir, me proponho a dar alguns exemplos de líderes eficientes:
a) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve ter um momento separado com Deus. “E tomou Moisés a tenda, e a estendeu para si fora do arraial, desviada longe do arraial, e chamou-lhe a tenda da congregação: e aconteceu que todo aquele que buscava o Senhor saiu à tenda da congregação, que estava fora do arraial. E aconteceu que, saindo Moisés a tenda, todo o povo se levantava, e cada um ficou em pé a porta da sua tenda: e olhavam para Moisés pelas costas, até ele entrar na tenda. E aconteceu que, entrando Moisés na tenda, descia a coluna de nuvem, e punha-se a porta da tenda: e o Senhor falava com Moisés” (Ex 33.7-9).
b) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve estar sempre antes ou pelo menos junto com os seus liderados. “Depois Josué se levantou de madrugada, e os sacerdotes levaram a arca do Senhor” (Js 6.12).
(c) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve dirigir e não ser dirigido pelos seus liderados. “E sucedeu que, tocando os sacerdotes à sétima vez as buzinas, disse Josué ao povo: Gritai; porque o Senhor vos tem dado a cidade” (Js 6.16).
d) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve confiar no agir de Deus em sua vida. “Então enviou para lá cavalos, e carros e um grande exército, os quais vieram de noite, e cercaram a cidade. E o moço do homem de Deus se levantou mui cedo, e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então o seu moço lhe disse: Ai, meu senhor! Que faremos? E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (2°Rs 6.14-16). Um líder só será eficaz, se for estabelecido pelo próprio Deus!
e) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve ser alguém que não esquece os compromissos firmados. “Josué, porém, disse aos dois homens que tinham espiado a terra: Entrai na casa da mulher prostituta, e tirai de lá a mulher com tudo quanto tiver, como lhe tendes jurado” (Js 6.22).
e) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve ser reconhecido pela igreja. “Escolhei pois, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio” (At. 6.3).
f) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve delegar funções. “Eu só não posso levar a todo este povo, porque muito pesado é para mim... E disse o Senhor a Moisés: Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel, de quem sabes que são anciãos do povo, e seus oficiais: e os trarás perante a tenda da congregação, e ali se porão contigo. Então eu descerei e ali falarei contigo, e tirarei do espírito que esta sobre ti, e o porei sobre eles: e contigo levarão o cargo do povo, para que tu só o não leves” (Nm 11.14,16,17).
g) Para ter uma liderança eficaz, o líder deve ser organizado. “Mas faça-se tudo decentemente e com ordem” (1Co 14.40).
3.) Erros que um líder deve evitar.
Em nossa caminhada cristã, cometemos muitos e muitos erros, e como diz o ditado: “errar é humano”. Mas em nossa caminhada ministerial, os nossos erros custam muito caro, eles são muito mais dolorosos e demoram a cicatrizar. Por isso, descrevo alguns erros que como líderes, devemos evitar:
a) a soberba. “A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra” (Pv 29.23).
b) Os ventos de doutrina. “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (1Tm 4.1); “Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichões nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” (2Tm 4.3,4).
C) A amizade com o mundo e o pecado. “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião a carne, mas servi-vos uns aos outros pela caridade” (Gl 5.13).
d) Avareza. Um líder deve ser um dizimista na Casa de Deus; “Porque bem sabeis isto: que nenhum fornicário, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus” (Ef 5.5); “Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas” (Ml 3.8), Embora muitos não concordem com o uso de Malaquias para comprovar a atualidade dos dízimos, aqui, seu uso é perfeitamente aplicado, pois Malaquias esta tratando em sua carta com os obreiros do Senhor, o mesmo que fazemos neste instante.
e) Contencioso. “Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens” (Tt 3.2); “E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser manso para com todos...” (2Tm 2.24).
f) Mentiroso. Tem líder que não assume o seu erro e prefere mentir para os seus liderados, “Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros” (Ef 4.25).
Conclusão:

Muitos são os desafios que um líder estabelecido por Deus deve enfrentar, mas com certeza muitas serão as vitórias também. O importante é não confiar na força do seu braço, mas na força e no poder de Deus, pois só ELE pode sustentar nossa caminhada de fé e nosso ministério de líderes em sua casa. Que Deus abençoe a todos nós em nome de Jesus!
Pr. Igor de Moura Cogoy