segunda-feira, 19 de maio de 2014





A necessidade de ter um Teólogo na Igreja
               
               Nos dias atuais, onde uma verdadeira enxurrada de modismos, heresias, e superstições invadem as igrejas desviando-as do caminho certo e da simplicidade do Evangelho, mais nos leva a pensar no ministério da palavra e no papel do teólogo na comunidade em que está inserido. O problema é que muitas igrejas são fundadas todos os meses, e a grande maioria delas por pastores que sequer leram a Bíblia inteira! E algumas delas pregam inclusive contra a teologia e contra os teólogos.
                É comum ouvir nessas igrejas o bordão: “Teologia não é o mais importante, o mais importante é a unção de Deus!”. Concordo em partes com essa defesa dos incautos e negligentes da fé, nada adianta conhecermos toda a Bíblia, se não conhecermos o autor dela! Por outro lado, nada adianta conhecermos o autor se não falamos a verdade sobre ele para as pessoas! O ideal é seguirmos o conselho da Bíblia, que é o manual do fabricante e que nos diz o seguinte: “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2°Pe 3.18).
                O fato de muitas igrejas não possuírem em sua membresia um teólogo ou mestre na palavra, facilita para que heresias e superstições entrem nelas, pois uma igreja sem teólogo não recebe o ensino aprofundado das escrituras, e acaba não possuindo o hábito de checar se as mensagens e estudos ministrados por pastores e obreiros estão realmente fundamentados na Bíblia. Em decorrência disto, heresias como maldição hereditária, transferência de geração, pecados passados por imposição de mãos, nova unção, e cair pelo poder, são amplamente aceitas nas comunidades evangélicas modernas como sendo doutrinas e ensinamentos bíblicos.  Sem entrar no mérito das liturgias dessas igrejas, onde o culto se resume a um verdadeiro show de atos proféticos, revelações e quebras de maldições nas vidas dos crentes.
                O desconhecimento da Bíblia é tanto, que existem crentes que passam as madrugadas lutando com os demônios (Batalha Espiritual) em função de amarrá-los, enquanto outros, vão até as entradas das cidades promoverem atos proféticos que visam requerer o poder e a autoridade da cidade para Cristo.
                E o que falar dos apóstolos modernos? Querer se comparar aos apóstolos de Cristo é uma arrogância e soberba terrível, além de um completo desconhecimento do papel exercido pelos apóstolos de Cristo, bem como dos requisitos bíblicos para exercer a função de apóstolo (ver no blog, o estudo sobre os apóstolos). É nessa hora, que devemos agradecer a Deus pelos teólogos da reforma, que sempre levantaram a bandeira bíblica cujo um dos lemas era:"Sola Scriptura". Nas igrejas reformadas, essas doutrinas e modismos que se propagam nas igrejas evangélicas brasileiras, não encontram abrigo, pois o ensino teológico das igrejas reformadas é fundamentado nas escrituras e seus dogmas e credos, não são recentes, mas possuem séculos de tradição e reflexão.
                O teólogo é como um mensageiro do Senhor, que recebe de Deus a mensagem e interpreta-a para o povo, é aquele que fala a palavra de Deus, e aquele a quem Deus fala por meio de sua palavra (Bíblia). É claro, que muitos “teólogos” contemporâneos não estão comprometidos com a palavra de Deus, o simples fato de ter estudado teologia não faz de alguém um bom e comprometido teólogo. Assim como o fato de alguém ter cursado medicina, não faz dela um bom médico! É preciso separar as coisas, é preciso tirar o joio do meio do trigo, pois a própria escritura adverte que no final dos tempos surgiriam muitos falsos mestres que introduziriam doutrinas de demônios na igreja, e que muitos seguiriam seus ensinos para a própria perdição (1° Tm 4.1-5; 2° Tm 4.3-5; 2°Pe 2.1-3). A seguir, traçarei o perfil de um verdadeiro teólogo segundo as escrituras.
Características de um teólogo segundo a palavra de Deus:
   
1)      Tem a Bíblia como verdade suprema em questão de fé e conduta. O verdadeiro teólogo é bíblico, todo o seu credo e ensino estarão fundamentados na Bíblia, pois para ele, não existe outra escritura, ou autoridade eclesiástica que seja mais inspirada por Deus do que a sua palavra (Bíblia). Para o teólogo verdadeiro, nem a igreja, nem qualquer líder religioso tem a autoridade para mudar ou retirar qualquer doutrina ensinada na Bíblia.
2)      Não fundamenta doutrinas em versos isolados. O teólogo verdadeiro entende que para ser considerada uma doutrina, a mesma deve estar em harmonia com o restante da palavra de Deus, ou seja, deve constar em vários livros da Bíblia e ser ensinada de forma clara pelos profetas, por Jesus, e pelos apóstolos. Uma doutrina deve ser confirmada pelas regras de interpretação, a hermenêutica, que nos ensina a interpretar as verdades da palavra de Deus observando corretamente todo o contexto da passagem bíblica e não em apenas um verso. Lembre-se a Bíblia tem um só autor: O Espírito Santo, por tanto seus assuntos e ensinos devem apontar para a mesma direção, e não para rumos diferentes.
3)      Busca a direção do Espírito Santo. Um teólogo que não ora e não medita na palavra de Deus, é como um cego guiando um bando de cegos em uma grande e movimentada avenida, o acidente será inevitável! Só Deus sabe o que a igreja está precisando ler e ouvir, por isso, o teólogo deve estar em sintonia com o Espírito Santo para que possa ser usado como um mensageiro do Senhor.
4)      É um apologista. Alguém que se diz teólogo e não se preocupa em defender a verdade do Evangelho, não pode ser levado a sério, pois o nosso chamado ao magistério divino nos induz naturalmente a defesa do Santo Evangelho.  Muitos nos interpretam mal, e nos julgam de maneira errada, afirmando que somos fariseus e que só olhamos para os defeitos e erros doutrinários dos outros, mas não é essa a questão. Deus nos chamou para ensinarmos a sua palavra, nos capacitou a interpretá-la e colocou em nossos corações um amor genuíno por ela, de modo que é impossível para um teólogo ver alguém tratando mal as Escrituras e não falar nada! Sabemos diferenciar os que erram por falta de conhecimento (mesmo estando bem intencionados), daqueles que se aproveitam da ingenuidade dos irmãos para tirar algum proveito financeiro. Infelizmente, ao desmascararmos as heresias e erros doutrinários de falsos pastores e mestres, tocaremos também em alguns que erram por desconhecerem a palavra. Nesse caso, sempre vamos preferir seguir o exemplo do apóstolo Paulo: “Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo” (Gl 1.10). É o preço que pagamos pela integridade e pureza do Evangelho.
              Um teólogo é um instrumento de Deus na igreja, sua função é ensinar, aconselhar, defender, e ajudar os pastores a manterem a pureza do evangelho. Ser mestre na palavra é um dom dado por Deus (1° Co 12.28), e como dom deve ser levado a sério, pois o Senhor irá cobrar-nos! (Lc 12.48).
Soli Deo Glória!
Pr. Igor de Moura Cogoy