terça-feira, 27 de maio de 2014







Deus sabe o que vai dentro de nossa alma

Hoje eu falarei sobre o Deus que sabe o que vai dentro da nossa alma, que nos conhece e que deseja que vivamos com ele uma vida de amor, comunhão e alegria. Um Deus que sabe o que sentimos que conhece nossos medos e aflições, e que deseja nos fazer feliz.
Sim amados, Deus te ama! E quer sua felicidade! Talvez você esteja sofrendo, se sentindo infeliz e angustiado, achando que seus problemas não têm solução e que o que te resta é a morte. Mas saiba que Deus tem presenciado teu sofrer, e ao contrário do que lhe parece, Ele anseia por te ajudar. Confesso que já estive assim, e quem nunca esteve? Sem dúvida, a experiência é deveras angustiante e parece não ter fim. Mas, saiba que ele me ouviu e me ajudou e com toda a certeza está te ouvindo também.
Para comprovar o que estou dizendo, e não ficar apenas com as minhas palavras, eu mostrarei um exemplo da graça e misericórdia de Deus encontrada na Bíblia. A palavra de Deus nos conta a história de uma mulher que tinha uma vida financeira estável, seu marido gozava de uma boa posição social, Uma mulher que provavelmente tinha tudo o que queria jóias, roupas, conforto e segurança.
Ela, além de possuir todas essas bênçãos materiais, ainda tinha a sorte de ter o coração de seu esposo, que muito a amava e fazia questão de demonstrar isso (1° Sm 1. 5), Essa mulher, que você já deve ter conferido em sua Bíblia, se chamava Ana, e  o seu esposo se chamava Elcana. Mas mesmo com tudo isso, que é muito mais que a maioria das mulheres do mundo possui Ana não era feliz, e andava muito angustiada, sofrendo muito e sendo vítima de um complexo inferior muito forte, e que se não fosse tratado, iria lhe destruir completamente.
O motivo de sua tristeza era a sua infertilidade (Ana era estéril), que em uma sociedade Patriarcal e até em certo ponto machista, significava muita coisa, e causava um grande mal estar para ela e para seu marido (1°Sm 1.8).
Como disse, a sociedade naquela época era um tanto machista, e sendo assim, o seu esposo Elcana, apesar de muito a amar, possuía outra esposa cujo nome era Penina. Esta era uma rival implacável para Ana (1° Sm 1.6), e vivia lhe causando dor, fazendo com que Ana sempre se lembrasse que apesar de não possuir o coração de Elcana, era Penina a mulher que tinha dado a Elcana herdeiros e assim sucessão dinástica.
Ana com toda certeza se sentia desamparada por Deus, castigada e injustiçada por Ele. Não conseguia entender como podia o Senhor ver o seu sofrimento, e não fazer nada! Como era possível, o grande Jeová Rafá, o Senhor que sara ver o seu sofrimento e a perseguição familiar que sofria de sua rival Penina e mesmo assim, continuar sem lhe abençoar.
O problema que Ana estava enfrentando era sério, não era só o fato de não poder ser mãe, mas também o fato de ser desprezada pela sociedade! Pois a função das mulheres naquela sociedade era a de serem submissas a seus esposos, garantirem o bem estar familiar e físico dos maridos, além de lhe proporcionar a alegria de ter um filho primogênito homem. Filho que garantiria a continuação do nome e que herdaria todos os bens da família.
Fico imaginando como era a vida de Ana, a vejo saindo de casa para comprar algum mantimento, ou para visitar seu esposo no trabalho e enquanto se dirige a seu destino, não pode deixar de perceber os olhares das mulheres mais velhas da comunidade, olhares de condenação e pena. Consegue notar certo burburinho entre as moças da comunidade ao vê-la passando, e logo imagina que estão falando dela, pensa consigo mesma: – “certamente estão dizendo:”- “lá vai à estéril, a mulher que não é capaz de dar um herdeiro para o seu esposo!”, Ou estariam dizendo: “Ainda bem que Elcana tem outra esposa que lhe garantiu descendência, pois essa ai tem o útero seco!”.
Na sociedade moderna e liberal que vivemos não ser mãe não é problema algum, como também não é problema algum o não desejar ser mãe! Pois vivemos em uma sociedade em que até o direito de matar o filho no ventre tem sido pleiteado na justiça. Mas nos tempos em que Ana viveu, era de fato algo terrível não ser mãe. Como deveria ser angustiante para Ana toda vez que o seu ciclo menstrual atrasava alguns dias, e ela enchendo-se de esperança, começava a imaginar como seria a criança, qual nome daria para ela, como sua vida seria melhor sem as provocações de sua rival Penina e sem os olhares de pena e de reprovação das mulheres da comunidade. Ana já imaginava o sorriso no rosto de Elcana ao ter o filho nos braços. Mas, quando menos esperava, a sua menstruação descia e lhe jogava no abismo da inutilidade e do caos interior. No lugar da alegria e esperança de ser finalmente mãe, Ana sente agora uma ira subindo e tomando conta de todo o seu ser, uma vontade imensa de brigar com Deus, e de lhe falar como Ele estava sendo injusto com ela, não demonstrando o mínimo de sensibilidade ao seu sofrimento. 
Quantas vezes meu amigo (a) nos sentimos assim? Parece que Deus ouve e responde as orações de todos, menos as nossas! Sentimos-nos traídos, desamparados e esquecidos por Deus não é verdade? Saiba que Deus está com os olhos fixos em você! Ele sabe o que você está passando, sabe o que você está pensando em fazer e sabe o momento certo de responder as tuas orações. Deus sabe o que vai dentro da sua alma!
Talvez Deus esteja me usando para falar com alguém que se sente angustiado. Alguém talvez, que como Ana, não consiga engravidar. Alguém que tem tudo na vida, casas, carros, um marido maravilhoso, mas não consegue ter a graça de ser mãe!  Não desista! Deus sabe o que vai dentro da sua alma e vai conceder o desejo do seu coração, mas como disse logo acima, Deus está esperando apenas o momento certo para agir.
E o momento certo, é aquele em que você abre ou se abre totalmente para Deus, e derrama diante dele, não as suas lágrimas, mas a sua alma! “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1° Pd 5.7).
E foi isso que Ana fez! Ela procurou ao Senhor e derramou seu coração e alma diante dele, Veja: “Levantou-se Ana, e, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente. E fez um voto, dizendo: Senhor dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha” (1° Sm 1.10,11).
E sensibilizou o coração de Deus, alcançando a benção que tanto queria, “Levantaram-se de madrugada, e adoraram perante o Senhor, e voltaram, e chegaram a sua casa, a Ramá. Elcana coabitou com Ana, sua mulher, e, lembrando-se dela o Senhor, ela concebeu e, passado o devido tempo, teve um filho, a que chamou Samuel, pois dizia: Do Senhor o pedi.” (1° Sm 1.19,20).
Assim como Ana, existem muitos outros exemplos de pessoas que estavam angustiadas, desanimadas e até quem já duvidava da própria justiça de Deus! Mas a todos o Senhor respondeu e mostrou sua fidelidade, e vai mostrar para você também, acredite Deus já sabe o que você irá pedir antes mesmo de você fazê-lo. Mas mesmo assim ele quer lhe ouvir e quer lhe abençoar. Confie! Deus sabe o que vai dentro de sua alma, ele sabe o que você precisa ouvir e a hora em que tem de ouvir. Apenas confie e verás a glória de Deus em sua vida. Faça como Ana, se derrame aos pés de Cristo e ele te levantará.
Soli Deo Glória!

Pr. Igor de Moura Cogoy