sábado, 17 de outubro de 2015

O culto ao Senhor





O culto ao Senhor

Que tipo de culto estamos oferecendo a Deus?


Olá amigos do blog ai graphai! No artigo de hoje quero falar com vocês sobre o culto. Que tipo de culto estamos prestando a Deus? Você já se perguntou se o que você faz na sua igreja está realmente agradando a Deus? Se a adoração na sua igreja reflete a santidade de Deus e está de fato honrando a Deus? Como podemos ver, o tema de hoje é sério! E deve ser refletido com toda a seriedade e temor. Pretendo expor neste artigo o que a Bíblia nos mostra sobre a adoração a Deus, sobre o tipo de culto e principalmente sobre a postura que um adorador deve ter na celebração ao Senhor. Por fim, falarei do que não é culto ao Senhor, ou seja, dos exageros, extravagancias e heresias praticadas em muitos cultos por ai. Por tanto, abra sua mente, abandone seu orgulho denominacional, pegue sua Bíblia e bom estudo!

1) O que é Culto?


Segundo o Dicionário teológico de Claudionor Corrêa de Andrade, culto é o seguinte: "Do lat. cultus, veneração. Tributação voluntária de louvores e honra ao criador” (CPAD, PG.85). Por tanto, culto é algo voluntário, cujo objetivo é louvar e honrar a Deus.
Sendo assim, tudo o que acontece no templo durante a celebração deve ter o objetivo exclusivo de agradar e honrar a Deus, ou seja, o culto deve ser planejado para agradar exclusivamente a Deus. Isso inclui os louvores, a adoração e principalmente a postura dos adoradores diante do Senhor, bem como a forma que se comunicam com Ele.
Se procurarmos nos originais, veremos que culto ao Senhor tem uma profundidade e um significado bem diferente do que é apresentado por alguns dos líderes eclesiásticos de nossos dias, que apresentam ou oferecem em grande parte, cultos com uma superficialidade medíocre e até irreverente muitas vezes. Isso se dá, porque na maioria das vezes os pastores estão preocupados em planejar cultos que agradem os fiéis e não ao Senhor! Já que mencionei os escritos originais, como as escrituras do Antigo Testamento relatam o culto ao Senhor? Lembrando que não discutiremos aqui a modernidade do culto, e sim, o sentido e o propósito do culto a Deus! Você pode cultuar a Deus de maneira moderna e atual, sem com isso ofender a sua Santidade e os princípios bíblicos de culto.
Para os escritores bíblicos, para os profetas do Antigo Testamento e para a Igreja do Novo Testamento o culto era um serviço que se prestava a Deus. Não tinha o objetivo de agradar os crentes, ou prender os fiéis na congregação! Não havia manipulação ou falso espiritualismo, mas tudo era simples e tinha como objetivo único e final, a honra e a adoração a Deus.
A palavra culto no hebraico está relacionada diretamente ao trabalho ou serviço, isto é, ao ato de servir ao Senhor. Por isso, algumas traduções trazem em Êxodo 20.5 “Não as adorarás, nem lhes darás CULTO (´ãbhadh)” (ARA), e outras versões apresentam assim: “Não te encurvarás a elas nem as SERVIRÁS (´ãbhadh)” (ARC). Percebam, que a palavra traduzida como culto, trabalho ou serviço no original hebraico é a mesma. Essa palavra é aplicada na Bíblia em passagens que indicam um trabalho duro, árduo (Gn 2.15; 4.2; Dt 28.39); a escravidão (Êx 1.14); e a adoração, culto (Êx 3.12; 4.23; 20.5; Js 24.15,18). Como no serviço (culto) oferecido aos falsos deuses (Dt 7.16; 2°Rs 10.18,19,21-23).
Por tanto, quando um israelita ia ao tabernáculo ou ao templo de Salomão adorar ao Senhor, ele tinha em mente o serviço ao Senhor! Ele tinha total consciência que o culto era para o Senhor e que a sua adoração era um serviço prestado diretamente a Deus. Não havia entre os israelitas a adoração extravagante no templo! Pois sabiam que a casa de Deus era lugar de adoração e sacrifício, e que o Senhor era Santo e devia ser adorado com reverencia e temor:
“Oh, vinde, adoremos e prostremo-nos, ajoelhemos diante do Senhor que nos criou” (Sl 95.6).
Infelizmente, nos dias de hoje, muitos vão as igrejas com o sentimento de que ali é a sua casa, e portanto podem gritar, rir escandalosamente, e acredite, até mandar no local! Ficam gritando e dando ordens a Deus, determinando a cura e a prosperidade para as suas vidas, depois passam a barganhar com Deus, oferecendo uma quantia de dinheiro em troca de uma quantia bem maior no futuro! Como se o Senhor fosse um negociante qualquer. Triste realidade de alguns cultos no Brasil.
Talvez alguém diga: -essa informação sobre o culto está relacionado ao Antigo Testamento, mas no Novo a coisa é diferente, nós somos livres para adorar!, -Deus quer que o povo o adore em espírito e em verdade! -Deus procura verdadeiros adoradores! -No Novo não é um serviço, mas uma liberalidade pessoal do cristão!.
Será mesmo isso verdade? Será que a visão dos apóstolos acerca do culto ao Senhor era tão diferente da dos profetas do Antigo Testamento? A resposta é Não! No Novo testamento a palavra culto também tem o sentido de serviço, e isso é o que podemos constatar com os seguintes versos:

“Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar CULTO (latreia) a Deus” (Jo 16.2 ARA).

“ Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um SERVIÇO (latreia) a Deus” (Jo 16.2 ARC);

“Ora, a primeira aliança também tinha preceitos de SERVIÇO (latreia) sagrado e o seu santuário terrestre” (Hb 9.1 ARA).

“Ora, também o primeiro tinha ordenanças de CULTO (latreia) divino e um santuário terrestre” (Hb 9.1 ARA).

Perceba, que os dois versos usados aqui demonstram de maneira bem clara, que para os crentes do Novo Testamento o culto, e o local de culto não era a casa da mãe Joana! Onde se podia adorar vestido de marinheiro, de pirata, etc. O culto era algo sério! Era um serviço de adoração prestado ao soberano Deus! E isso exigia a reverencia e o temor que a santidade de Deus requer.

2) O culto que agrada a Deus.


Confesso ser estranho falar sobre o tipo de culto que agrada a Deus, pois isso cabe ao Senhor mostrar! Na verdade Ele já mostrou e está revelado em sua palavra a Bíblia. Mas como a nossa geração parece não curtir a leitura devocional da Bíblia, isso acaba meio oculto e faz com que os “adoradores” aceitem todo os tipo de reunião como se fosse verdadeiramente um culto. Um culto que honre ao Senhor deve ter o seguinte:

“Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis,um tem salmo, outro, doutrina, este tráz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação” (1Co 14.26).

a) Deve ser Bíblico. A palavra de Deus deve ser a base de todo o culto ao Senhor, a mensagem do evangelho deve ser pregada ou ensinada constantemente nos cultos. Não podemos substituir a palavra pelos louvores ou apresentações.
b) Deve ser espiritual. Devemos dar liberdade ao Espírito de Deus para Ele agir em nosso corações, revelando sua vontade e seu propósito em nossas vidas. No caso das manifestações espirituais, ex: línguas, profecias e etc. Paulo nos mostra que devem ter interpretação, ou seja, deve ser feita para a edificação do corpo de Cristo, senão há intérpretes, como poderá edificar a igreja?
c) O culto deve ter um propósito. O propósito do culto é adorar a Deus e edificar a igreja! Nada que fuja disso deve ser praticado no culto. Não podemos e não estamos autorizados pela Bíblia a incluir no culto ao Senhor, coisas sem o objetivo de edificar a igreja, como teatros, jograis, danças, e etc. Tais coisas podem ser organizadas pelos departamentos da igreja, mas não para serem apresentadas no culto ao Senhor. Talvez em um local apropriado, num dia alternativo mas não no culto.
d) O culto deve ter canções que exaltem a Deus. Os hinos cantados no culto ao Senhor, devem ser cânticos de adoração e exaltação ao Senhor e não para alegrar e agitar a igreja. “louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais” (Ef 5.19b).

3) O que não é culto?


Com toda certeza, não podemos considerar como culto divino as seguintes práticas:
a) Culto empresarial. Cultos que dão muita atenção ao dinheiro não são cultos bíblicos e portanto não podem ser considerados ou inclusos como de adoração a Deus. A parte das ofertas deve ser rápida e passar quase desapercebida no culto. Quem deseja ofertar de livre e espontânea vontade já separou a sua oferta, por tanto não há necessidade de insistir e constranger aos demais presentes no culto com esse assunto. “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2Co 9.7).

b) O culto extravagante. Está na moda em alguns lugares oferecer a “Deus” um culto diferente, onde os crentes vão para a igreja fantasiados de marinheiro, pirata, e etc. Ou cultos onde ficam gritando e pronunciando palavras de ordem a Deus, as doenças e ao diabo. Também deve ser digno de citação as igrejas discotecas, onde os cultos jovens se transformaram em festas, em que djs e luzes coloridas transformam a casa de Deus em um clube, e os louvores em baladas.   

“Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne” (Gl 5.13).

c) Culto emocional e supersticioso. O verdadeiro culto a Deus não tem como objetivo exaltar a espiritualidade dos crentes, mas sim a soberania e a misericórdia divina. Cultos onde os crentes aparecem mais que o Senhor não são cultos dedicados a Deus, mas a promoção e exaltação humana.
Não podemos aceitar como culto a Deus as seguintes praticas e ensinamentos:
- Unção do riso; - Pontos de contato
- Atos proféticos; - Cobertura espiritual
- Quebras de maldições; - Transferência de Unção e de geração
- Batalha espiritual - Nova Unção e nova ordem Apostólica
Muitas heresias tem surgido em nome de uma falsa espiritualidade e nova unção, portanto, todo aquele que deseja cultuar ao Senhor deve estar atento a esse tipo de coisa e rejeitá-las imediatamente.

 “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos, e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (2Tm 4.3,4).

Conclusão:


Não quero que levem este artigo para o lado pessoal, não pretendo atacar ou desmoralizar a fé de ninguém, quero antes abrir os olhos daqueles que são sinceros adoradores, aqueles que desejam ter uma fé pura e firmada nas Escrituras. Entenda amigo (a) se qualquer um dos apóstolos de Cristo, ensinasse acerca dessas coisas citadas acima, eu humildemente me retrataria e pediria perdão, mas não há como imaginar os apóstolos fazendo uma reunião com unção do riso! Ou o culto do ministério de dança! Absurdo! Chega a ser ridículo pensar que essas heresias teriam o apoio dos apóstolos de Cristo. Sei que sou duro com as palavras, mas antes ser assim e te falar a verdade, do que te enganar falando aquilo que você meu amigo (a) deseja ouvir, e ser o culpado de sua perdição eterna. Pense nisso!
Deus vos abençoe!
Pr. Igor de Moura Cogoy.

Nenhum comentário: