quarta-feira, 26 de agosto de 2015

O amor ao dinheiro




Seja a vossa vida livre do amor ao dinheiro, contentando-vos com o que tendes, pois ele mesmo disse: Não te deixarei, nunca te desampararei” (Hebreus 13. 5).

Olá amigos do blog ai graphai! Que bom receber sua visita em nosso blog! Hoje quero falar de algo grave e que silenciosamente entrou nos arraiais dos crentes, tomando conta de de vários púlpitos e que agora é uma verdadeira epidemia nas igrejas sobre tudo nas neo pentecostais, que na maioria delas não há nem um credo estabelecido. Quanto muito, uma tradição doutrinária ou uma dogmática e etc. O assunto, como pode-se perceber pelo título do artigo é o amor ao dinheiro, e nele pretendo denunciar a teologia da prosperidade, a falta de honestidade com o dinheiro dos fiéis, e principalmente a posição bíblica acerca da busca de riquezas por parte dos cristãos. Vamos conferir o que a Bíblia nos diz a respeito? Vem comigo!

1) A Bíblia é muito clara com relação ao dinheiro e as riquezas, e sempre trata a busca pelo materialismo como sendo algo pecaminoso e perigoso para a salvação do cristão. veja alguns exemplos: “O que ama o dinheiro nunca se fartará dele; quem ama a abundância nunca se farta da renda. Isto também é vaidade” (Eclesiastes 5.10); Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores” (1Timóteo 6.10); “O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram. A sua ferrugem dará testemunho contra vós, e devorará a vossa carne como fogo” (Tiago 5.3); “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Ajuntai, porém, tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem destroem e onde os ladrões não arrombam nem roubam. Pois onde estiver o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração” (Mt 6.19-21).

2) A Bíblia nos revela que nos tempos do fim, muitos seriam enganados por sua cobiça e avareza, e cairiam na conversa de falsos mestres e falsos líderes espirituais que fariam da fé e piedade uma grande fonte de lucros. “Contenda de homens corruptos de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro. De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo e nada podemos levar dele; tendo, porém, sustento e com o que nos vestir, estejamos contentes. Os que, porém, querem ficar ricos caem em tentação e em laço, e em muitos desejos descontrolados e nocivos, os quais submergem os homens na ruína e perdição. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se atormentaram com muitas dores” (1Timóteo 6.5-10); “Por ganância vos exploraram com palavras fingidas. Para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (1 Pedro 2.3).
Talvez ao ler esses versos da Bíblia você esteja se perguntando: - É pecado ser rico? Claro que não! Não é isso que diz as Escrituras nem o que elas condenam, mas o fazer das riquezas o motivo ou o objetivo de sua ida a igreja sim, é plenamente condenado nas escrituras. A prosperidade não deve ser o foco nem o padrão de espiritualidade dos crentes, infelizmente muitos “líderes” “espirituais” ensinam que um crente verdadeiro deve ser bem sucedido, deve ter um bom emprego deve morar numa bela casa e ter um bom carro.
Isso é uma heresia muito perigosa, pois distorce os padrões de espiritualidade e vida com Deus na mente de muitas pessoas ignorantes, leigas e de simples entendimento. Certa vez fui convidado a participar de uma reunião de pastores e o que presidia a reunião disse algo que me causou uma tremenda repulsa e indignação, ele disse o seguinte: “Um pastor não pode ser um pastor mané, mas deve se vestir bem, morar numa casa boa e deve andar num carrão”. Essa é a visão de reino que muitos pastores tem e ensinam! O pior, é que muitos pastores estão enriquecendo com o dinheiro de dízimos e ofertas que são entregues de boa fé pelos crentes nas igrejas, isso é uma realidade, muitos irmãos são ensinados a investirem na vida de seus pastores, para que Deus possa retribuir e investir assim também na vida deles. Um engodo! Mas, uma triste realidade da maioria das igrejas no Brasil, sobre tudo das igrejas novas e sem tradição nem teologia formada, que são levadas pelos ventos de doutrinas e concepções liberais e humanistas que sopram da América do Norte.



3) Mas Jesus não disse para seus discípulos em Mateus 19.27-29, que quem o seguisse receberia cem vezes mais, tanto aqui nessa terra como na vindoura? Vejamos o que diz o texto citado acima: “ Então Pedro lhe perguntou: Nós deixamos tudo e te seguimos! O que haverá para nós? Respondeu-lhe Jesus: Em verdade vos digo: Vós os que me seguistes, por ocasião da regeneração, quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. Todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs,ou pai ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e herdará a vida eterna”. A resposta é mediante a uma outra pergunta: Será que Jesus estava falando realmente de prosperidade para seus discípulos? Claro que não! Do contrário, ele seria um mentiroso! Pois qual dos seus discípulos morreu enriquecido? O próprio Pedro, que fez a pergunta para Jesus morreu pobre, crucificado de cabeça para baixo. Assim todos eles, morreram pobres e sob perseguição constante por amor ao Evangelho.

4) A Bíblia da exemplos de pessoas que abandonaram riquezas, deixaram de lucrar com a fé, e que aconselharam seus leitores a viverem de modo simples e sem cobiça.
a) Moisés: “Pela fé, Moisés, sendo já homem, recusou ser chamado filho da filha de faraó. Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que, por algum tempo, ter a alegria do pecado. Teve por maiores riquezas o desprezo de Cristo do que os tesouros do Egito, porque tinha em vista a recompensa” (Hebreus 11. 24-26);
b) Profeta Eliseu: “Então voltou Naamã ao homem de Deus, ele e toda a sua comitiva. Veio, pôs-se diante dele e disse: Agora reconheço que em toda a terra não há Deus, senão em Israel. Agora peço-te que aceites um presente do teu servo. Respondeu o profeta: Tão certo como vive o Senhor em cuja presença estou, não o aceitarei. Insistiu Naamã com ele para que o aceitasse, mas ele recusou” (2°Reis 5.15,16);
c) O autor da carta aos hebreus: “Seja a vossa vida livre do amor ao dinheiro, contentando-vos com o que tendes, pois ele mesmo disse: Não te deixarei, nunca te desampararei” (Hebreus 13.5);
d) Jesus: “Não podeis servir a Deus e as riquezas” (Mateus 6.24b); “As raposas têm tocas, e as aves do céu têm ninhos, mas o filho do homem não tem onde descansar a cabeça” (Mateus 8.20).

Para finalizar, vou deixar a Bíblia descrever o fim dos falsos pastores, que enganam os fiéis de suas igrejas ensinando-lhes essa teologia da prosperidade em que incentivam os mesmos a barganharem com Deus.
Por ganância vos explorarão com palavras fingidas. Para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (2 Pedro 2.3); “ Tais são as veredas de todo aquele que se entrega a cobiça; ela prende a alma dos que a possuem” (Provérbios 1.19).

Que Deus te abençoe!
Pr. Igor de Moura Cogoy