sábado, 21 de novembro de 2015

Algumas considerações sobre a oração




A oração

Olá amigos do blog ai graphai! É com muita alegria que escrevo mais um artigo. O tema de hoje é especial, pois se trata de algo necessário para a vida de todo cristão. A oração.
Muito se fala sobre oração, muitos são os livros que tratam desse tema e alguns até extrapolam ou a fazem cair no ridículo, como os que ensinam as “orações de batalha espiritual”, heresias que em outra oportunidade eu vou tratar aqui no blog. Mas o que quero dizer nesta introdução, é que apesar de muito divulgada, ensinada e esboçada em livros, a oração é tão pouco praticada! Como é difícil ver igrejas promovendo reuniões de oração ou vigílias! Muito mais fácil é ver as igrejas promovendo reuniões de curas, e de bênçãos materiais como a teologia da prosperidade, ou reuniões festivas do que reuniões de oração.
Essa situação de descaso quanto a oração, reflete bem a realidade ou espiritualidade das igrejas atuais, igrejas frias, sem temor, e que mais parecem reuniões sociais do que locais de culto.
Não quero ser hipócrita, eu também me cobro muito por não orar o tanto que creio que devia, não estou isento e sei disso. Sei também, que existem homens e mulheres de Deus que são guerreiros de oração, que pagam o preço e buscam com muita intensidade e fé a presença do Senhor em suas vidas. Essas são pessoas pelas quais tenho uma profunda admiração! Que Deus vos conceda sempre esta força e fé para cumprir o propósito divino em suas vidas.
Mas por quê a oração é tão importante?

1) A oração é o elo que nos aproxima de Deus, que nos permite gozarmos de comunhão com Ele nesta terra.
Quando oramos, nos aproximamos de Deus no sentido de abrirmos nossa mente e inclinarmos nosso coração para recebermos sua graça e misericórdia. Ela é um sustentáculo para uma vida espiritual sadia e vitoriosa.
Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós” (Tg 4.8).

2) Orar é uma obrigação.
Somos aconselhados pelas escrituras, a buscarmos ao Senhor em oração, portanto, a oração é uma ordem é um dever!
Orai sem cessar” (1Ts 5.17).
Invoca-me e eu te reponderei e te anunciarei coisas grandes e inacessíveis, que tu não conheces” (Jr 33.3). E ainda:
Procurai Iahweh enquanto ele se deixa encontrar, invocai-o enquanto está perto”(Is 55.6).
Humilhai-vos sob a poderosa mão de Deus, para que na ocasião própria vos exalte; lançai nele toda a vossa preocupação, porque é ele que cuida de vós” (1Pe 5.6,7).

3) Mas por quê devemos orar?
Muitos são os benefícios da oração, e a medida que a praticamos, passamos a desfrutar de cada um deles. Eis os motivos pelos quais devemos obedecer as Escrituras e passarmos mais tempo em oração:
a) Para entrarmos na presença de Deus.
Aproximemo-nos, então, com segurança do trono da graça para conseguirmos misericórdia e alcançarmos graça, como ajuda oportuna” (Hb 4.16).
É importante buscarmos ao Senhor e, estarmos constantemente em sua presença.
b) Para recebermos o que necessitamos.
Seja um bem material ou espiritual.
Não vos inquieteis com nada; mas apresentai a Deus todas as vossas necessidades pela oração e pela súplica, em ação de graças. Então a paz de Deus, que excede toda a compreensão, guardará os vossos corações e pensamentos, em Cristo Jesus” (Fp 4.6,7).
c) Para recebermos alegria da parte de Deus.
Devolve-me o júbilo da tua salvação e que um espírito generoso me sustente” (Sl 51.14; BJ).
Sofre alguém dentre vós um contratempo? Recorra à oração” (Tg 5.13).
d) Para recebermos a cura divina.
A Bíblia nos incentiva a buscarmos a Deus em oração a fim de recebermos uma cura, assim, exercitamos a fé e testemunhamos o poder de Deus.
Alguém dentre vós está doente? Mande chamar os presbíteros da igreja para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o porá de pé; e se tiver cometido pecados, estes lhe serão perdoados” (Tg 5.14,15).
e) Para não cairmos em tentação.
Vivemos um conflito espiritual, onde luz e trevas tentam nos envolver a todo instante, e se quisermos ter uma vida espiritual e santa diante de Deus precisamos vigiar e orar.
Vigiai e orai para não entrar em tentação: pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mc 14.38).
f) Por livramento.
Vemos nos escritos sagrados, a igreja orando e intercedendo para Deus livre os apóstolos das autoridades perseguidoras.
Nessa mesma ocasião o rei Herodes começou a tomar medidas visando a maltratar alguns membros da Igreja. Assim, mandou matar à espada Tiago, irmão de João. E vendo que isto agradava aos judeus, mandou prender também Pedro. Era nos dias dos pães sem fermento. Tendo-o, pois, feito deter, lançou-o na prisão, entregando-o à guarda de quatro piquetes, de quatro soldados cada um, tencionando apresentá-lo ao povo depois da páscoa. Mas, enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja fazia ardentemente oração a Deus, em favor dele” (At 12.1-5).
g) Para que Deus abra a porta da palavra de evangelização dos povos.
Não podemos pregar o Evangelho sem antes orarmos a Deus, devemos pedir-lhe, que abra a mente e o coração das pessoas para que a mensagem da cruz tenha êxito. Devemos orar para Deus nos abra mais campos missionários também!
Orando por nós também ao mesmo tempo, para que Deus nos abra uma porta à Palavra, para falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou prisioneiro” (Cl 4.3).

4) Como devemos orar?
A oração é pessoal, cada um ora de modo diferente e portanto não pretendo corrigir nem ensinar como se deve orar. Mas quero expor aqui, o método apresentado por Jesus, o nosso amado mestre.
E quando orardes, não sejais como os hipócritas, porque eles gostam de fazer oração pondo-se em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam sua recompensa. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechando tua porta, ora a teu Pai que está lá, no segredo; e teu Pai, que vê no segredo, te recompensará. Nas vossas orações não useis de vãs repetições, como os gentios, porque imaginam que é pelo palavreado excessivo que serão ouvidos. Não sejais como eles, porque vosso Pai sabe do que tendes necessidade antes de lho pedirdes. Portanto, orai desta maneira” (Mt 6.5-9).
Segundo Cristo, a oração deve ser:
a) Sem chamar a atenção (Mt 6.5);
b) Em segredo (Mt 6.6);
c) Sem usar vãs repetições, ou seja, sem falar palavras desnecessárias (Mt 6.7,8).

Conclusão:

Devemos fazer da oração uma prática constante em nossas vidas, seja no templo, em casa, e até no serviço quando este permite. Se quisermos ter uma vida cristã de profunda comunhão com Deus, precisamos conversar com Ele! Precisamos ter o desejo de estar na presença de Deus, precisamos sentir saudades de falar com Deus.
Vamos orar e pedir a Deus para Ele aumente nossa fé e aumente em nós o desejo de passarmos mais tempo na presença dele.
Que Deus vos abençoe e vos conceda a graça de buscá-lo sempre mais em oração.
Pr. Igor de Moura Cogoy.